00h00 - sexta, 08/09/2017

Aulas começam sem problemas em Odemira

Aulas começam sem problemas em Odemira

Ainda há professores por colocar e há necessidade de mais assistentes operacionais (auxiliares), mas o novo ano escolar de 2017-2018 vai arrancar sem sobressaltos de maior no município de Odemira. Uma garantia que é deixada ao "SW" pelos responsáveis dos cinco agrupamentos de escolas do concelho, que afiançam estar tudo pronto para receber cerca de 2325 alunos na próxima quarta-feira, 13 de Setembro.
"Não temos preocupações de maior e está tudo pronto para começarmos", afirma peremptoriamente Armando Martins, director do Agrupamento de Escolas de Odemira, o maior do concelho, que em 2017-2018 contará cerca de 980 alunos (a que se juntam as reclusas do Estabelecimento Prisional de Odemira).
De acordo com este responsável, ainda há "horários a concurso", situação que deve ficar resolvida até ao início das aulas através do concurso gerido pelo Ministério da Educação. E no que toca aos assistentes operacionais, Armando Martins é um director satisfeito. "O ano passado deram-nos mais cinco assistentes operacionais e este ano, atempadamente, permitiram a renovação desses contratos e a contratação de mais um. Portanto, ainda que sendo à justa, não nos podemos queixar", diz.
Mais a litoral, no Agrupamento de Escolas Vila Nova de Milfontes, que em 2017-2018 terá perto de 405 alunos, o quadro é muito semelhante no que toca aos professores, visto que as seis vagas ainda existentes deverão ficar supridas até início das aulas, garante o sub-director Filipe Clemente.
Mas ao contrário da sede do concelho, em Vila Nova de Milfontes faltam assistentes operacionais. "Tivemos três pessoas que saíram, duas por aposentação e uma por rescisão, e ainda não foram substituídas. Faltam essas três pessoas… pelo menos", afiança o sub-director do agrupamento.
Em São Teotónio a preparação do novo ano lectivo também "está a correr normalmente", mas são igualmente necessários mais auxiliares, garante o director do Agrupamento de Escolas. "Faltam assistentes operacionais, mas da parte do Ministério da Educação pois da parte da Câmara Municipal está tudo certo. É que segundo as contas do Ministério, temos o número de assistentes operacionais que devíamos ter. Mas o Ministério não conta que haja pessoas doentes ou que haja outras que já estão velhotas e que já não podem fazer o trabalho todo… Precisávamos de pelo menos mais dois [auxiliares] para isto funcionar a 100%", acrescenta Rui Coelho.
O director do Agrupamento de Escolas de São Teotónio, que em 2017-2018 vai voltar a ter perto de 570 alunos (a que se juntam os 70 estrangeiros que frequentam o curso de Português em regime nocturno), refere ainda que faltam serem colocados no agrupamento cerca de 15 professores. "Isto já é província de Odemira e na província da província custa mais as pessoas virem para cá. Mas espero que a situação seja resolvida nos próximos dias. Depende um bocado do Ministério da Educação", afirma com optimismo.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quinta, 14/06/2018
Escavações arqueológicas
nas ruínas de Miróbriga
As ruínas de Miróbriga, em Santiago do Cacém, recebem pelo terceiro ano consecutivo trabalhos de escavação arqueológica, no âmbito de um projecto de investigação que visa o estudo das áreas comerciais daquela antiga cidade romana.
07h00 - segunda, 11/06/2018
Santiago do Cacém nos
"Caminhos de Santiago"
A Câmara de Santiago do Cacém e a Turismo do Alentejo assinaram no início deste mês, durante a Santiagro, um protocolo de colaboração para dinamizar e promover o produto turístico "Caminhos de Santiago" no concelho.
07h00 - quinta, 31/05/2018
Santiago do Cacém
recebe feira Santiagro '18
O Parque de Feiras e Exposições de Santiago do Cacém recebe a partir desta quinta-feira, 31 de Maio, a 31ª edição da Santiagro-Feira Agro-pecuária e do Cavalo, que decorre até domingo, 3 de Junho.
07h00 - quarta, 30/05/2018
CIMAL quer fundos comunitários
para saneamento e abastecimento
A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) defende que as autarquias tenham acesso a fundos comunitários para investimento na área do saneamento e do ciclo da água em baixa, nomeadamente a construção e/ou reparação de condutas e de sistemas de abastecimento de água.
00h00 - domingo, 27/05/2018
Reabilitação no Cercal
em consulta pública
A Câmara de Santiago do Cacém tem em fase de discussão pública a proposta do projecto da operação de reabilitação urbana sistemática (ORU) para o centro histórico do Cercal do Alentejo.

Data: 08/06/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial