07h00 - terça, 09/01/2018

Junta de Relíquias
quer "mais emprego"

Junta de Relíquias quer "mais emprego"

As principais prioridades da Junta de Freguesia de Relíquias para o mandato de 2017-2021 são o "desenvolvimento económico e social da freguesia", nomeadamente com a criação de "mais empregos e mais apoios para a população idosa e famílias com situações complicadas".
Em declarações ao "SW", o presidente Daniel Balinhas explica que a economia da freguesia assenta principalmente na actividade florestal, onde a produção de eucaliptos é a actividade com maior rendimento económico, mas o montado de sobro com a cortiça também é bastante significativo. A agricultura, bem como alguma agro-pecuária e a caça são outras actividades que merecem destaque na freguesia.
Um dos problemas sentidos pelo autarca eleito pela CDU é a "falta de uma farmácia", já que ao nível da Saúde a freguesia conta actualmente com um médico de família duas vez por semana e o apoio de enfermagem três vezes por semana.
Pior é a situação dos jovens que terminam o ensino secundário ou profissional e que não continuam os seus estudos, pois são obrigados a procurar trabalho fora da freguesia. "As principais áreas empregadoras são a construção civil, o corte de madeiras e a extracção de cortiça. Uma parte da população activa tem de deslocar-se para outras zonas, nomeadamente Sines, Algarve e zona do litoral do concelho nos trabalhos das estufas", o que não ajuda à fixação da população na freguesia, lamenta Daniel Balinhas.
A população idosa da freguesia vai contar brevemente com uma estrutura residencial para pessoas idosas, promovida pela Casa do Povo local e com 40 quartos, que se junta ao Apoio Domiciliário e Centro de Dia já em funcionamento, que dá um grande apoio à população idosa. Nesta área, diz Daniel Balinhas, a Junta de Freguesia "promove visitas, passeios e convívios, com os meios e recursos disponíveis", e pretende brevemente "criar um serviço de ajuda solidária aos idosos e famílias carenciadas em pequenas reparações e conservações das habitações".
A Junta de Freguesia debate-se com a falta de meios humanos, que não pode contratar por falta de disponibilidade financeira. "A Lei das Finanças Locais protege e dá mais meios a quem tem população. Nós temos muita área e não temos população, estamos no interior esquecido, com uma agricultura destruída, com pequenas empresas quase arruinadas e com uma desertificação acentuada. Espero que esta situação seja invertida e dê esperança a todos os que aqui teimamos em continuar a viver", desabafa Daniel Balinhas.
Em Relíquias a CDU alcançou nas Autárquicas de 2017 uma vitória com 54,59% dos votos, conseguindo eleger quatro dos sete eleitos na Assembleia de Freguesia. "A população sabe que a equipa que dirijo já deu provas de que é possível gerir os destinos de uma autarquia sem discriminações, em que todos somos iguais e todos diferentes, mas onde o respeito e a dignidade, são princípios de que não abdicamos e por eles sempre temos lutado. Conhecemos os problemas e sabemos o que fazer para ultrapassar essas dificuldades, pois queremos uma vida de qualidade e progresso para a nossa terra e tudo faremos para o alcançar", conclui Daniel Balinhas, que cumpre o seu segundo mandato.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

Data: 22/06/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial