00h00 - sexta, 22/06/2018

Memória(s) em palco
com "Desembosnar"

Memória(s) em palco com "Desembosnar"

Anos atrás a expressão "desembosnar" era muito utilizada nos montes e aldeias do interior de Odemira quando se fala em desenvolver ou desencalhar. Um termo que vai agora ser recuperado em palco num espectáculo produzido pela ZUT e que tem como "actores" um grupo de homens e mulheres, todos com mais de 55 anos, da freguesia de Santa Clara-a-Velha.
O espectáculo "Desembosnar" é apresentado ao público nesta sexta-feira, 22 de Junho, no cine-teatro Camacho Costa e surge na sequência de "Advirto", que estreou em 2017 e nasceu no âmbito do trabalho que a associação ZUT tem vindo a realizar junto destas comunidades. Em palco vão estar António Maria, Conceição Dias, Emília Felicidade, Graciete Rosário, Inácia Felicidade, José Ventura, Manuel Duarte, Maria Odete Oliveira, Noémia Maria e Odália Gonçalves, na sua maioria membros do Grupo Etnográfico "Alto do Mira", que dão corpo e voz a uma "perspectiva dramatizada" da antiga rivalidade entre as gentes de Santa Clara-a-Velha (os "morcegos") e de Sabóia (os "macacos") e que trabalha muito a(s) memória(s) individual e colectiva.
"Desenvolvemos ideias e ficções em cima desse ponto de partida", explica ao "SW" Inês Jacques, da ZUT, que dirige e encena o espectáculo juntamente com Hélio Mateus.
Na prática, continua Inês Jacques, tudo tem que ver "com o processo de criação de uma memória". "A nossa memória tem mistos de coisas reais com coisas que nós próprios vamos criando, coisas que ouvimos dizer ou imagens que vemos. E este espectáculo foi criado assim, com um misto de coisas documentais, coisas que foram contadas e coisas inventadas", diz.
De acordo com a encenadora, em "Desembosnar" os participantes foram muito mais activos que em "Advirto". "As pessoas que estão envolvidas no projecto, como são as mesmas que fizeram o projecto anterior, já vinham com mais garra para agarrar um projecto novo. Contribuíram bastante e deram muitas ideias sobre como o espectáculo se podia desenrolar. E foram bastante mais activas e criativas", afiança Inês Jacques.
A estreia é já esta sexta-feira e a expectativa é muita. "É uma espécie de nervoso miudinho, mas que não incomoda. Acho que estamos mais empolgados do que nervosos", admite com bom humor Inês Jacques.
"Desembosnar" tem o apoio da Câmara de Odemira, da Casa do Povo de Santa Clara-a-Velha e das juntas de freguesia de Santa Clara-a-Velha e de Sabóia e a estreia é em Odemira. Mas depois a ZUT gostaria de levar o espectáculo a outros locais do concelho (e não só). "Gostávamos muito de circular com o espectáculo", afiança.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 18/07/2019
FACECO 2019 apoia
pescadores da Azenha
A FACECO terá um cariz solidário em 2019, uma vez que metade do valor resultante da venda de entradas reverterá para a campanha solidária que está a decorrer em favor dos pescadores da Azenha do Mar afectados pelo incêndio de 6 de Maio.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Balcão Único de Odemira
assinala nove anos de existência
O Balcão Único (BU) da Câmara de Odemira assinalou, na passada sexta-feira, 12 de Julho, nove anos de existência, sendo que actualmente conta com uma média de 10 mil atendimentos a munícipes por ano.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Um derrame hoje?
"Consequências seriam
maiores", diz ARH
O director da Administração Regional Hidrográfica (ARH) do Alentejo, ligada à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), admite que um acidente como o ocorrido, em 1989, com o petroleiro "Marão" nos dias de hoje teria consequências económicas e ambientais bem maiores na zona do Alentejo Litoral.
07h00 - sexta, 12/07/2019
Jogadora de Milfontes
nas campeãs da Europa
A concretização de um sonho: é desta forma que a futebolista Jéssica Silva, natural de Vila Nova de Milfontes, descreve a sua transferência dos espanhóis do Levante para os franceses do Olympique Lyon, actuais campeões da Europa de futebol feminino.
07h00 - sexta, 12/07/2019
E se houvesse novo derrame
de crude na costa de Odemira?
Na madrugada de 19 de Julho de 1989 a praia do Almograve e algumas zonas a norte e a sul do areal "tingiram-se" de negro.

Data: 19/07/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial