07h00 - sexta, 07/09/2018

Um mural onde cabe todo
o concelho de Odemira

Um mural onde cabe todo o concelho de Odemira

São cerca de 110 metros de parede onde "cabem" todo o concelho de Odemira! Da silhueta da praia da Zambujeira do Mar ao farol do Cabo Sardão, passando pelo forte de Vila Nova de Milfontes, o moinho da Longueira, a ponte de Odemira e de Dona Maria (a caminho da barragem de Santa Clara) ou a estação ferroviária de Santa Clara-a-Velha, são muitos os pontos de interesse natural e patrimonial que surgem representados no novo mural pintado na zona ribeirinha da vila de Odemira.
"Quisemos mostrar o que temos cá no concelho de Odemira, o que existe de bom, de bonito e atractivo", justifica ao "SW" Pedro Soares, 33 anos, que juntamente com Igor Camacho, também de 33 anos, concretizou a pintura do mural, um trabalho de minúcia e muita arte que é inaugurado neste sábado, 8 de Setembro, pelas 12h30, durante as comemorações do Dia do Município.
A criação do mural, outrora uma parede sem vida e muitas vezes "entregue" a cartazes e outras colagens ou pinturas, tem vindo a ser preparada pelos dois autores desde há cerca de um ano, por convite da Câmara de Odemira, no âmbito do programa municipal "O Jovem". Aceite o desafio, de imediato os dois artistas, que formam o projecto Ar.De – Arte e Design, começaram a idealizar o trabalho a fazer. "A nossa ideia foi fazer umas boas vindas a Odemira, com imagens de todo o concelho", lembra Pedro Soares, que é estudante de Artes Visuais na Universidade de Évora.
Antes de chegarem à parede, Pedro Soares e Igor Camacho trabalharam em computador a imagem a criar. Só depois veio o trabalho "manual". "Passámos o que tínhamos em digital no computador para a parede e depois pintámos à mão, a pincel. É um trabalho mais demorado, mas fica com outro pormenor", explica Igor Camacho, designer de formação, dando o exemplo do desenho da estação ferroviária de Santa Clara-a-Velha, que foi aquele que exigiu mais minúcia e trabalho.
"Passámos aqui muitas manhãs, tardes e noites", admite Igor Camacho, que agradece a "ajuda preciosa" que receberam de Margarida Pedro, também de Odemira e designer de interiores. Um apoio que permitiu terminar o mural mais rapidamente. "Estava previsto fazermos isto em dois meses, mas conseguimos acabar o projecto em cinco semanas", nota.
Concluído o trabalho, o resultado final tem agradado aos odemirenses e a todos aqueles que passam, de carro ou a pé, pela zona ribeirinha da vila. "Todas as reacções foram boas, não tivemos nenhuma reacção menos positiva", garante Igor Camacho. "Sempre nos disseram que têm gostado e o feedback tem sido muito positivo", acrescenta Pedro Soares.
Orgulhosos do seu projecto, os dois artistas defendem que a street art é uma forma de valorizar espaços públicos e outros edifícios entregues ao abandono. "Aos olhos de muita gente pode ainda não ser visto desta forma, mas ao contrário de certos riscos e paredes mal-tratadas, acho que fica assim melhor", afirma Pedro Soares, reconhecendo que o facto de a dupla se estrear em projectos desta envergadura na sua terra-natal também um significado especial. "É um prazer sermos nós a 'riscar' as nossas paredes", conclui de imediato Igor Camacho, a rir.


Notícias Relacionadas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 18/07/2019
FACECO 2019 apoia
pescadores da Azenha
A FACECO terá um cariz solidário em 2019, uma vez que metade do valor resultante da venda de entradas reverterá para a campanha solidária que está a decorrer em favor dos pescadores da Azenha do Mar afectados pelo incêndio de 6 de Maio.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Balcão Único de Odemira
assinala nove anos de existência
O Balcão Único (BU) da Câmara de Odemira assinalou, na passada sexta-feira, 12 de Julho, nove anos de existência, sendo que actualmente conta com uma média de 10 mil atendimentos a munícipes por ano.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Um derrame hoje?
"Consequências seriam
maiores", diz ARH
O director da Administração Regional Hidrográfica (ARH) do Alentejo, ligada à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), admite que um acidente como o ocorrido, em 1989, com o petroleiro "Marão" nos dias de hoje teria consequências económicas e ambientais bem maiores na zona do Alentejo Litoral.
07h00 - sexta, 12/07/2019
Jogadora de Milfontes
nas campeãs da Europa
A concretização de um sonho: é desta forma que a futebolista Jéssica Silva, natural de Vila Nova de Milfontes, descreve a sua transferência dos espanhóis do Levante para os franceses do Olympique Lyon, actuais campeões da Europa de futebol feminino.
07h00 - sexta, 12/07/2019
E se houvesse novo derrame
de crude na costa de Odemira?
Na madrugada de 19 de Julho de 1989 a praia do Almograve e algumas zonas a norte e a sul do areal "tingiram-se" de negro.

Data: 19/07/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial