07h00 - terça, 02/04/2019

Crianças de Odemira fazem
velas "amigas do ambiente"

Crianças de Odemira fazem velas "amigas do ambiente"

Depois da fritura de batatas ou ovos, são ainda muitos os que não sabem o que fazer com o óleo alimentar utilizado. O desconhecimento muitas vezes redunda em más práticas ambientais, como a sua colocação no lixo ou na rede de água, problema que as crianças da Sala C do 2º Ano da Escola Básica (EB) 1 de Odemira querem evitar. Uma preocupação que os tem "guiado" no projecto "Sopro Amigo", dinamizado ao longo deste ano lectrivo de 2018-2019 com o objectivo de sensibilizar pais, encarregados de educação e toda a comunidade para a necessidade de reciclar e reutilizar os óleos alimentares.
"O projeto 'Sopro Amigo' visa a criação de um projecto de empreendedorismo que promova a consciencialização da comunidade de Odemira para a problemática do desperdício de óleo alimentar, uma vez que a mesma, apresenta algumas renitências na reciclagem/ reutilização do óleo", explica a professora responsável pela iniciativa. "Assim, este projeto visa sensibilizar toda a comunidade através dos meios de comunicação local, através da produção de velas ornamentais a partir da reutilização do óleo da comunidade escolar da EB de Odemira", acrescenta Cristina Basílio ao "SW". 
De acordo com a docente, a iniciativa foi integrada nas diversas disciplinas do currículo, "de forma a promover uma transdisciplinaridade", tendo começado em 2018-2019 com o projecto "OSOS-Open Schools for Open Socities", proporcionando uma interligação entre ambos.
Cristina Basílio frisa que as metas do projecto são promover nos alunos a percepção "do que é ser empreendedor, quais as etapas para desenvolver um empreendedorismo e promover um espírito crítico em torno do mesmo". "Com o 'Sopro Amigo' há uma consciencialização de problemáticas ambientais e de como poder colmatar as mesmas. Mediante esta pedagogia, em que os alunos são os impulsionadores da sua aprendizagem, os mesmos adquirem de forma consciente e concisa os objectivos delineados no projecto", advoga a professora.
Para tal, as crianças envolveram-se no projecto numa lógica de "aprendizagem activa", ou seja, através da criação de actividades práticas que levaram os alunos "a construir o seu conhecimento pela acção sobre os materiais, interacção com os outros, esclarecimento de dúvidas, verbalização dos conhecimentos aprendidos e pela sistematização dos conteúdos".
Houve igualmente reuniões com os patrocinadores, a realização de um inquérito à comunidade de Odemira e de um RAP para promoção das velas aromáticas, assim como "diversas situações problemáticas que envolveram todo um estudo inerente ao empreendedorismo" e a "realização de panfletos sensibilizadores", adianta Cristina Basílio.
O projecto foi apresentado publicamente na segunda-feira, 1 de Abril, durante as Jornadas Escolares de Odemira. Mas até final do ano lectivo está está prevista a sua divulgação, uma vez por mês, no Jardim Sousa Prado e através de cartazes publicitários expostos nos estabelecimentos comerciais da vila.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 18/07/2019
FACECO 2019 apoia
pescadores da Azenha
A FACECO terá um cariz solidário em 2019, uma vez que metade do valor resultante da venda de entradas reverterá para a campanha solidária que está a decorrer em favor dos pescadores da Azenha do Mar afectados pelo incêndio de 6 de Maio.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Balcão Único de Odemira
assinala nove anos de existência
O Balcão Único (BU) da Câmara de Odemira assinalou, na passada sexta-feira, 12 de Julho, nove anos de existência, sendo que actualmente conta com uma média de 10 mil atendimentos a munícipes por ano.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Um derrame hoje?
"Consequências seriam
maiores", diz ARH
O director da Administração Regional Hidrográfica (ARH) do Alentejo, ligada à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), admite que um acidente como o ocorrido, em 1989, com o petroleiro "Marão" nos dias de hoje teria consequências económicas e ambientais bem maiores na zona do Alentejo Litoral.
07h00 - sexta, 12/07/2019
Jogadora de Milfontes
nas campeãs da Europa
A concretização de um sonho: é desta forma que a futebolista Jéssica Silva, natural de Vila Nova de Milfontes, descreve a sua transferência dos espanhóis do Levante para os franceses do Olympique Lyon, actuais campeões da Europa de futebol feminino.
07h00 - sexta, 12/07/2019
E se houvesse novo derrame
de crude na costa de Odemira?
Na madrugada de 19 de Julho de 1989 a praia do Almograve e algumas zonas a norte e a sul do areal "tingiram-se" de negro.

Data: 05/07/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial