08h00 - quinta, 20/06/2019

AHSA defende melhores
condições de acolhimento

AHSA defende melhores condições de acolhimento

Resolver a questão do acolhimento e da integração dos cidadãos estrangeiros a trabalhar nas explorações horto-frutícolas do concelho de Odemira tem de ser uma prioridade, no sentido de garantir o desenvolvimento de um sector que já movimenta anualmente mais de 200 milhões de euros. A posição é assumida pela Associação dos Horticultores, FGruticultores e Floricultores dos Concelhos de Odemira e Aljezur (AHSA), com sede em Odemira e que congrega duas dezenas de empresas ligadas ao sector.
Em comunicado enviado ao "SW", a AHSA frisa ser "fundamental" actuar "de forma concertada, com os vários actores do território, na perspectiva de melhor gerir o dinamismo que se espera de um território de enorme potencial, como é este do Sudoeste Alentejano".
Segundo a associação, o sector debate-se, "desde há uns anos a esta parte, com uma situação crónica de escassez de mão-de-obra nacional", sendo obrigado recorrer a cidadãos estrangeiros. Nesse sentido, afirma a AHSA, "criar condições de acolhimento e de integração deverá ser o verdadeiro tema em discussão", defendendo o alojamento deste tipo de colaboradores "dentro das próprias unidades de produção agrícola, em estruturas temporárias construídas para o efeito".
No comunicado, a AHSA explica ainda que nos mais de 80.000 hectares de área de Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), apenas em 7.000 hectares se pratica algum tipo de agricultura, dos quais 300 hectares através de estufas e 1.300 hectares com algum tipo de cobertura – ou seja, "menos de 2% da área do PNSACV e de 0,7% da área total do concelho" de Odemira.
Por isso mesmo, a AHSA afirma não se rever na moção do PS pelo desenvolvimento sustentável de Odemira.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 18/07/2019
FACECO 2019 apoia
pescadores da Azenha
A FACECO terá um cariz solidário em 2019, uma vez que metade do valor resultante da venda de entradas reverterá para a campanha solidária que está a decorrer em favor dos pescadores da Azenha do Mar afectados pelo incêndio de 6 de Maio.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Balcão Único de Odemira
assinala nove anos de existência
O Balcão Único (BU) da Câmara de Odemira assinalou, na passada sexta-feira, 12 de Julho, nove anos de existência, sendo que actualmente conta com uma média de 10 mil atendimentos a munícipes por ano.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Um derrame hoje?
"Consequências seriam
maiores", diz ARH
O director da Administração Regional Hidrográfica (ARH) do Alentejo, ligada à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), admite que um acidente como o ocorrido, em 1989, com o petroleiro "Marão" nos dias de hoje teria consequências económicas e ambientais bem maiores na zona do Alentejo Litoral.
07h00 - sexta, 12/07/2019
Jogadora de Milfontes
nas campeãs da Europa
A concretização de um sonho: é desta forma que a futebolista Jéssica Silva, natural de Vila Nova de Milfontes, descreve a sua transferência dos espanhóis do Levante para os franceses do Olympique Lyon, actuais campeões da Europa de futebol feminino.
07h00 - sexta, 12/07/2019
E se houvesse novo derrame
de crude na costa de Odemira?
Na madrugada de 19 de Julho de 1989 a praia do Almograve e algumas zonas a norte e a sul do areal "tingiram-se" de negro.

Data: 05/07/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial