17h51 - quinta, 26/01/2017

Trabalhadores satisfeitos são mais produtivos?


Cláudia Silva
Muitas vezes tenho falado acerca da qualidade dos cuidados prestados à pessoa na Grande Idade nas instituições, de como é importante que os cuidadores tenham a noção e o sentimento de que é uma pessoa que tem à sua frente, com a sua identidade, diferente de todas as outras da mesma idade, e com necessidades distintas. A massificação dos cuidados tem se revelado claramente ineficaz e não promotora do respeito, da dignidade e da individualidade que merece qualquer pessoa, na grande ou "pequena" idade! Quando alguém decide trabalhar numa instituição de apoio social, seja em que função for, os juízos de valor, o idadismo, devem ficar à porta! Infelizmente ainda se assiste a uma cultura organizacional que centra o planeamento dos cuidados em função das rotinas dos funcionários e não da pessoa. O baixo ratio cuidador/pessoa conduz a uma sobrecarga de trabalho, o que não favorece as boas práticas e ainda propícia a ocorrência de maus-tratos. Por fim, as direcções têm muitas vezes baixa formação técnica e conhecimento do ser humano, o que os impede de sequer perceber e diagnosticar onde reside o problema.
No entanto, sendo tudo o que referi actual e pertinente, há um aspeto que é extremamente importante, e muitas vezes descurado, já para não dizer ignorado: a satisfação profissional. A satisfação profissional reflecte a reacção do próprio ao trabalho, sendo uma variante do comportamento organizacional mais estudada pelos investigadores. Do ponto de vista marxista, tendo em conta o inevitável conflito trabalhador-gestão, poderia parecer quase impossível pensar que funcionários mais satisfeitos/felizes pudessem ser mais produtivos. Contudo, de uma perspectiva mais psicológica e humana, que se coaduna com a prestação de cuidados à pessoa na Grande Idade, tem sido estabelecida uma relação positiva entre a satisfação profissional e o desempenho. Ou seja, daqui podemos inferir que se queremos melhorar os cuidados prestados nas instituições à pessoa na Grande Idade, talvez devêssemos primeiro olhar para os funcionários que lá trabalham e perguntar-nos: "Será que os funcionários estão motivados? E estão satisfeitos no trabalho? Como é que se pode pedir a uma pessoa que preste cuidados de qualidade e individualizados, quando há uma sobrecarga de trabalho que a impede de sequer ter tempo para conversar? E quando o consegue, quem é que lhe agradece e reconhece? Se calhar ainda é chamada à atenção pelas colegas porque levou mais tempo do que "deveria"! Como é que se pode pedir a uma pessoa que preste cuidados de qualidade e individualizados, quando as suas chefias não a tratam com consideração e respeito, e a cultura do medo e penalização do erro persiste?
Se queremos mesmo prestar melhores cuidados, está na hora de mudar de paradigma! Agora a questão é outra: será que queremos? Erradamente se pensa que o investimento em profissionais qualificados pode ser incomportável para as instituições, pois esse investimento tem retorno em ganhos em saúde, e estes também significam redução no custo (Prevenir para não tratar!). Termino com uma frase de Derek Bok: "Se acreditas que a formação é cara?experimenta a ignorância".



Outros artigos de Cláudia Silva

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 12/12/2018
Bombeiros de Odemira e Milfontes
garantem resposta às populações
Apesar do conflito existente entre os bombeiros e o Governo, as corporações de bombeiros do distrito de Beja, entre as quais a de Odemira e a de Vila Nova de Milfontes, garantem que vão manter "os mesmos níveis de prontidão e eficiência" para apoiar as populações.
07h00 - quarta, 12/12/2018
AM Grândola quer reunir
com ministra da Saúde
A Assembleia Municipal de Grândola solicitou, "com carácter de urgência", reuniões à ministra da Saúde e ao conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) para debater as "deficientes condições de funcionamento do serviço público de saúde no concelho" e do Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém.
07h00 - quarta, 12/12/2018
Cripta de Alcácer
com mais visitantes
A Cripta Arqueológica do castelo de Alcácer do Sal foi visitada por 8496 turistas entre Janeiro e Novembro de 2018, número que ultrapassa valores referentes a períodos homólogos anteriores desde a inauguração do espaço, em 2008.
07h00 - terça, 11/12/2018
Programa "365 Alentejo"
com candidaturas abertas
A Turismo do Alentejo, em parceria com a Agência Regional de Promoção Turística e o Turismo de Portugal, tem abertas até final do ano as candidaturas para a segunda edição do programa "365 Alentejo-Ribatejo", que visa a construção e promoção de um calendário anual de eventos "consistente e coerente".
07h00 - terça, 11/12/2018
CDS quer ambulância
SIV em Alcácer do Sal
O grupo parlamentar do CDS defende a colocação de uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) no concelho de Alcácer do Sal, por forma a melhorar a capacidade de resposta à população.

Data: 30/11/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial