17h37 - quinta, 23/02/2017

Milfontes (im)providente


António Martins Quaresma
Há dias imaginei o meu neto António, que tem quatro anos, a ameaçar, ainda articulando mal os "r", que ia requerer uma "providência cautelar" para suspender a ordem materna de comer a sopa. Isto de "providências cautelares" está completamente divulgado e é uma questão de tempo até passar dos adultos para os nossos precoces putos. Hoje em dia, há-as para todos os gostos e feitios, requerem-se em diversas circunstâncias, por homens e mulheres, por doutores e analfabetos, e, brevemente, em todas as idades, desde a mais tenra à mais longeva.
É o resultado da popularização do discurso jurídico e da ideia vulgarizada da existência de um recurso expedito para fazer parar decisões das entidades que administram o território, e, de alguma forma, suspender qualquer resolução que atinja os interesses ou a sensibilidade do requerente. As obras do Pólis também, ao que se diz, suscitaram, a propósito e a despropósito, clamores em que, inevitavelmente, tem surgido a expressão "providência cautelar".
Não estranhei, por isso, quando os dirigentes do Polis ficaram paralisados, face à ameaça (de um único morador, é certo, mas de verbo poderoso), de que, no meio de chispas e ribombos, lançaria uma providência cautelar contra a demolição do murete, que, há algumas dezenas de anos, divide em duas a Barbacã. Murete que, recorde-se, foi construído cerca de 1960, por iniciativa de outro morador, procurando evitar a total ocupação da Barbacã pelos carros, cada vez em maior número. Transfigurava, é verdade, a lógica do espaço, desde sempre organizado em função do castelo, mas entende-se a preocupação.
O certo é que o Pólis tinha disposto devolver à Barbacã a sua antiga e natural integridade, mas, casuístico e flexível nas decisões, rapidamente tomou, creio que em ambiente de solidariedade corporativa, providência para evitar a providência. Apesar de os tempos agora serem outros, o murete afinal vai ficar, de pedra e cal, alçado indevidamente à dignidade dos restantes muros da Barbacã e com direitos de cidade, isto é, de pólis.
Curiosamente, embora se tivesse prestado a muito maior número de críticas, o passadiço entre o Cais e as escadas da Barbacã, na margem do rio, não foi alvo, que eu saiba, de qualquer ameaça de providência cautelar, muito menos da própria providência. No passadiço, cujo critério desprezou a discrição, que muitos achavam o único apropriado, optou-se por uma implantação e uma construção impositivas, mas os protestos, conquanto mais numerosos, têm sido inconsequentes.
Como se vê, as providências nem sempre são providentes, e a falta de providências nem sempre providenciais.



Outros artigos de António Martins Quaresma

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
11h36 - quinta, 26/04/2018
Seis detidos pela GNR
em operação em Sines
Seis pessoas foram detidas na manhã desta quinta-feira, 26 de Abril, pela GNR na zona de Sines, por suspeitas da prática dos crimes de furto e roubo.
07h00 - quinta, 26/04/2018
Santaclarense perde
Taça de Honra nas
grandes penalidades
A equipa do Santaclarense perdeu para o FC São Marcos (do concelho de Castro Verde) a final da Taça de Honra da 2ª divisão distrital, disputada nesta quarta-feira, 25 de Abril, na cidade de Beja.
07h00 - quinta, 26/04/2018
Empresa de reciclagem
investe cinco milhões em Cercal
A Glopol Portugal vai investir cerca de cinco milhões de euros em Cercal do Alentejo, no concelho de Santiago do Cacém, numa unidade de reciclagem de plásticos no Parque de Empresas local.
07h00 - quinta, 26/04/2018
Plácido Gonçalves
e Patrícia Serafim
vencem em Odemira
Os atletas Plácido Gonçaves (do CDR Ribeirinho) e Patrícia Serafim (do BAC – Beja Atlético Clube) foram os grandes vencedores da 38ª edição do Circuito de Aletismo "Vila de Odemira", que decorreu no passado domingo, 22 de Abril.
08h00 - quarta, 25/04/2018
Município de Odemira
presta homenagens
Seis personalidades do concelho de Odemira são distinguidas nesta quarta-feira, 25 de Abril, pela Assembleia Municipal, durante a sessão evocativa dos 44 anos da Revolução dos Cravos.

Data: 27/04/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial