12h35 - quinta, 15/06/2017

Um turismo
que vale a pena


Carlos Pinto
Os últimos meses têm trazido boas notícias para Portugal. Todos nos lembramos dos recentes triunfos conquistados nas áreas desportiva ou cultural/musical, mas bem mais importantes são os resultados alcançados pelo país no plano político-económico. E aí as razões para sorrirmos são mais que muitas: a economia nacional cresce como há muito não crescia, o PIB regista números inesperados, o desemprego anda pelo nível mais baixo da última década e até a Comissão Europeia já aprovou a saída de Portugal do procedimento por défice excessivo.
Ora a recuperação económica de Portugal está alicerçada, sobretudo, em dois pilares. Por um lado a política de recuperação de rendimentos seguida desde 2015, que permite aos portugueses terem mais confiança no consumo. E por outro lado deve-se, em grande medida, ao crescimento (sobretudo no plano externo) de alguns sectores, com o turismo no topo da lista. E é precisamente neste quadro que devemos olhar com muita atenção – e orgulho – para o que tem também acontecido nos últimos tempos no concelho de Odemira (e em todo o Alentejo Litoral).
Hoje em dia já não chegam apenas à região turistas à procura de sol e mar (apesar de este ser ainda um dos seus atractivos). É por isso já comum vermos visitantes portugueses e estrangeiros por cá noutras alturas do ano, seja em caminhadas ao longo da costa – sobretudo através da Rota Vicentina –, a fazer passeios de burro ou cavalo, a andar de BTT ou a praticar actividades aquáticas (com a canoagem à cabeça). Ou, muito simplesmente, a descansar do stress quotidiano numa das muitas unidades de turismo rural que, entretanto, foram surgindo enquanto usufruem da beleza natural e da gastronomia da região.
Este é, diga-se desde já, um turismo que vale a pena! Porque dinamiza a actividade económica local e acaba com a sazonalidade. Um turismo que cria riqueza e postos de trabalho sem as indesejadas enchentes de Verão, que transformam essa época do ano num autêntico pesadelo para residentes e não só. Estão, portanto, de parabéns todos os agentes do sector, de empresários a autarcas e promotores, que fizeram do Alentejo Litoral um caso exemplar!



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
00h00 - domingo, 18/02/2018
Três equipas de Odemira
na Taça do Distrito de Beja
Três equipas do concelho de Odemira vão tentar na tarde deste domingo, 18 de Fevereiro, garantir a passagem aos quartos-de-final da Taça da Distrito de Beja de 2017-2018.
00h00 - domingo, 18/02/2018
Acção de limpeza no
cais da Carrasqueira
O cais palafítico da Carrasqueira e porto do Possanco, ambos no concelho de Alcácer do Sal, recebem neste domingo, 18, a acção de limpeza e sensibilização ambiental "Mariscar SEM Lixo".
00h00 - sábado, 17/02/2018
Distrital de Clubes de
atletismo em Odemira
A pista de atletismo do Complexo Desportivo Dr.
00h00 - sábado, 17/02/2018
"Arregaçar as mangas"
em V. N. Santo André
A Junta de Freguesia de Vila Nova de Santo André (Santiago do Cacém) promove neste sábado, 17 de Fevereiro, a segunda acção da iniciativa "Arregaçar as mangas por Santo André".
00h00 - sábado, 17/02/2018
Festival das Sopas
em Santiago do Cacém
O Pavilhão de Feiras e Exposições de Santiago do Cacém recebe no final da tarde deste sábado, 17, a sexta edição do "Festival das Sopas", iniciativa de cariz solidário onde será possível provar 40 variedades de sopa.

Data: 16/02/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial