11h35 - quinta, 13/07/2017

Uma feira que deve orgulhar


Carlos Pinto
Está à porta mais uma edição da FACECO – Feira das Actividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira, a grande "montra" daquele que é o maior concelho de Portugal. Serão três dias intensos, de muitos encontros e negócios. Três dias onde não faltará animação e discussão. Mas serão, sobretudo, três dias que espelharão a vivacidade deste território, pleno de oportunidades e projectos de grande qualidade nas áreas agrícola, turística, social e cultural.
Por tudo isto, a FACECO é uma feira que deve orgulhar os odemirenses e toda a região. Porque ela consegue ser aquilo que desejamos para o Alentejo Litoral (e para o país): ser moderna e dinâmica, atractiva e mobilizadora de vontades, empreendedora e criativa. Porque ela é também capaz de conciliar a inovação dos tempos com tradição dos homens e das mulheres destas terras. E porque ela não se fica pelo mais fácil e mais óbvio, sendo capaz de questionar e lançar sementes para o futuro.
A FACECO é, em síntese, uma feira com "F" grande. Um momento de afirmação do que somos e do que queremos ser. Um palco privilegiado para sentir o pulsar da região e perceber os caminhos a seguir no futuro. E o local ideal para mostrar a todo o país que no concelho de Odemira há muita mais vida para além dos trabalhos nas estufas e das actividades em redor do turismo e da natureza.

Parabéns Santa Clara
Santa Clara-a-Velha conseguiu um lugar na final da iniciativa "Maravilhas de Portugal – Aldeias", onde vai "lutar" pelo prémio de melhor "Aldeia Ribeirinha" com Dornes, no concelho de Ferreira do Zêzere (junto ao rio Tejo).
À primeira vista pode pensar-se que tal distinção não é mais que show off para ver na TV, mas o alcance desta competiução vai muito mais além disso. E depois daquilo que viram na televisão no passado dia 9 de Julho (a par da escolha da aldeia como finalista) certamente que serão muitos os portugueses que quererão conhecer "ao vivo e a cores" Santa Clara-a-Velha e a barragem que lhe é vizinha. E isso, para todos os efeitos, já é uma grande conquista. Por isso, parabéns a Santa Clara e às suas gentes!



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 21/11/2017
Ambientalistas contra
petróleo no Sudoeste
Um total de 28 organizações e movimentos voltaram a reafirmar a sua oposição ao projecto do consórcio GALP/ ENI, que vis a prospecção e exploração de petróleo e gás no mar ao largo da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano.
07h00 - terça, 21/11/2017
Câmara de Sines
diminui taxa de IMI
A Assembleia Municipal de Sines aprovou a proposta da Câmara para a redução do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a aplicar em 2018, com a taxa a passar dos actuais 0,36% para 0,355%.
07h00 - terça, 21/11/2017
Junta de Colos vai
apostar na proximidade
As pessoas vão estar no "centro da acção" da Junta de Freguesia de Colos no mandato que se prolonga até 2021, garante ao "SW" o reeleito presidente Manuel Penedo, 73 anos, que assume a prioridade de nos próximos quatro anos reforçar a "proximidade com as pessoas e com as associações" desta histórica freguesia do concelho de Odemira.
00h00 - segunda, 20/11/2017
Obras avançam em
Boavista dos Pinheiros
Os próximos quatro anos em Boavista dos Pinheiros vão ser de muitas obras, adianta ao "SW" o reeleito presidente da Junta de Freguesia, Manuel Pereira, de 45 anos, que até 2021 pretende avançar com quatro grandes projectos para a freguesia.
00h00 - segunda, 20/11/2017
Medronho "à mesa"
no concelho de Odemira
Borrego frito com molho de medronho, mel e hortelã, bife de vaca com café e medronho ou pudim de medronho são algumas das propostas ao longo desta semana em quatro restaurantes do concelho de Odemira.

Data: 17/11/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial