11h44 - quinta, 19/10/2017

Desafios e dúvidas


Carlos Pinto
Esta semana fecha-se o ciclo das Autárquicas 2017, que arrancou há muitos meses atrás com a escolha de candidatos, a elaboração de listas e a apresentação de programas eleitorais e que termina agora com a tomada de posse dos autarcas democraticamente eleitos pelas suas populações. Feita a festa pelos vencedores e analisados os resultados por todos, agora a hora é de trabalhar. E até 2021 são enormes os desafios que surgem no horizonte dos novos eleitos – seja em cada uma das freguesias ou concelhos, seja inclusive no plano regional –, no sentido de ir ao encontro dos anseios de cada um de nós.
É por isso que na linha da frente deve estar, parece-nos, o desenvolvimento económico e a coesão social. Mas a integração daqueles que chegam até nós vindos de outras latitudes e a dinamização dos territórios do interior devem ser igualmente prioridades essenciais na construção do futuro colectivo que todos ambicionamos.
O desafio é imenso e não é tarefa exclusiva de um homem só ou apenas dos que foram eleitos. Esta é uma empreitada em que todos podemos colaborar. E se assim for, certamente que dentro de quatro anos teremos uma região com um alto nível de sustentabilidade e melhor preparada para tirar partido de todas aquelas que são as suas potencialidades.

Ai a saúde…
A Saúde continua a ser um "calcanhar de Aquiles" no Alentejo Litoral. Aos problemas antigos relacionados com a falta de médicos e outros profissionais ou com a inadequação de muitos espaços médicos, surgem agora sérias dúvidas sobre a sustentabilidade da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) e a manutenção de valências médicas no Hospital do Litoral Alentejano. Um quadro dramático que já levou os autarcas a solicitarem à tutela uma reunião com carácter de urgência e motivou uma manifestação de utentes [ver notícia na página 3 – ao lado].
Ora neste caso não há espaço algum para "meias palavras": exige-se, sim, uma resposta imediata, cabal e concreta sobre todas estas questões às entidades competentes a nível regional e ao Ministério da Saúde. Porque nesta, como noutras situações, o Alentejo Litoral não pode continuar a ficar para trás.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 17/07/2018
AM Odemira aprova
moções do Bloco
Os eleitos na Assembleia Municipal de Odemira aprovaram, por unanimidade, duas moções apresentadas pelo Bloco de Esquerda (BE), uma contra a prospecção de petróleo e outra contra a utilização de glifosato.
07h00 - terça, 17/07/2018
Atendimento alargado na
Segurança Social de Odemira
Humanizar e optimizar os serviços, reduzir os tempos de espera e aumentar a eficácia na capacidade de resposta: são estes os objectivos da Segurança Social com as mudanças que vai introduzir no seu Serviço Local de Atendimento de Odemira a partir do dia 23 de Julho.
07h00 - terça, 17/07/2018
Canoístas "ligaram"
Milfontes a Porto Covo
Os clubes de canoagem do concelho de Odemira celebraram um total de quatro vitórias na quarta etapa do Campeonato Nacional de Canoagem de Mar, que decorreu no sábado, 14, no Alentejo Litoral.
00h00 - segunda, 16/07/2018
CM Alcácer do Sal
investiu 303 mil euros
no transporte escolar
A Câmara de Alcácer do Sal investiu um total de pouco mais de 303 mil euros no transporte escolar de centenas de jovens e crianças do concelho ao longo do ano lectivo 2017-2018.
00h00 - segunda, 16/07/2018
CM Santiago garante
nadadores-salvadores
para duas praias
A Câmara de Santiago do Cacém já assegurou a contratação dos nadadores-salvadores que vão estar de serviço neste Verão nas praias da Fonte do Cortiço e do Porto das Carretas.

Data: 06/07/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial