11h47 - quinta, 19/10/2017

Mindfullness: mentes saudáveis?


Cláudia Silva
n Quem não conhece a expressão "mente sã em corpo são", ou no latim "mens sana in corpore sano"? De fato o verdadeiro poder da mente ainda está por descobrir, contudo sabe-se que uma boa saúde mental depende muito da forma como encaramos as diferentes adversidades da vida, da capacidade de desenvolver as chamadas estratégias de coping.
Por exemplo, sabe-se que a continua exposição a situações que desencadeiam stress, ansiedade, e sintomas depressivos pode conduzir ao desenvolvimento de doenças psicossomáticas, ou seja, distúrbios físicos causados por transtornos psicológicos. Assim, seguindo a mesma lógica, os pensamentos e sentimentos positivos em relação a nós próprios e aos que nos rodeiam têm um impacto positivo na nossa saúde mental, podendo este fato ter uma relação direta ou indireta no corpo.
Richard Davidson, fundador do Centro de Mentes Saudáveis na Universidade de Wisconsin-Madison (EUA), diz-nos que a gentileza, a ternura e a bondade assumem-se como 'armas' poderosas na busca de uma mente sã, e que estas caraterísticas se podem treinar. Este investigador desenvolve estudos no ramo da neurociência sobre as qualidades positivas da mente e explica, através de investigação de elevado rigor científico, que uma mente calma pode produzir bem-estar em qualquer tipo de situação. Essa alteração das emoções têm uma repercussão direta nas estruturas cerebrais e processos neurais, que podem ser comprovada por meio de exames de diagnóstico.
A meditação mindfulness (atenção plena) constiui um meio para uma mente calma e saudável, cujas técnicas podem ter um impacto positivo não só na mente, mas também a nível físico. De acordo com os estudos desenvolvidos neste centro, o treino de uma atenção plena pode ainda reduzir a inflamação crónica em determinadas zonas em que o stress psicológico desempenha um papel importante, tais como na artrite reumatóide, doença inflamatória intestinal e asma. As experiências iniciais decorreram através do estudo da atividade cerebral de oito pessoas budistas com experiência na meditação, tendo-se verificado, entre outras, uma grande amplitude de oscilações gama no cérebro, indicador de plasticidade. Este achado significou que estes cérebros serão mais capazes de se alterarem e, como tal, poderão tornar-se mais resilientes.
A investigação das mentes saudáveis trouxe para a comunidade científica o estudo de questões como a ternura, a bondade, e a compaixão, sendo algo sem precedentes. Embora acreditemos no fundo de sabedoria das expressões populares, como a de "mente sã num corpo são", a evidência científica lidera as grandes decisões a nível da saúde, pelo que a investigação de matérias desta natureza são de todo o interesse pelo impato que podem trazer a médio/longo prazo para a saúde de todos, da Humanidade.

Texto escrito com o novo Acordo Ortográfico



Outros artigos de Cláudia Silva

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - sexta, 17/05/2019
Câmara de Santiago
tem novo camião
A Câmara Municipal de Santiago do Cacém adquiriu um novo camião de carga de 26 toneladas, com caixa basculante, num investimento avaliado em cerca de 143 mil euros.
07h00 - sexta, 17/05/2019
Parceria junta Benfica a
Vasco da Gama de Sines
O Vasco da Gama de Sines assinou nesta quinta-feira, 16 de Maio, no Caixa Futebol Campus, um protocolo de parceria com o Sport Lisboa e Benfica na área do futebol de formação.
07h00 - sexta, 17/05/2019
Governante de Timor
visitou Porto de Sines
O ministro dos Transportes e Comunicações de Timor-Leste, José Agustinho da Silva, visitou nesta semana o Porto de Sines, no sentido de "conhecer o funcionamento e as potencialidades desta infra-estrutura portuária".
07h00 - quinta, 16/05/2019
Câmara de Sines
ocupa jovens no Verão
A Câmara de Sines vai voltar a promover em 2019 mais uma edição do "Mãos à Obra", programa ocupacional de Verão para jovens dos 15 aos 25 anos, que vai decorrer durante o próximo mês de Julho.
07h00 - quinta, 16/05/2019
Regadio no Mira com
taxa de utilização de 60%
Meio século após a construção da barragem de Santa Clara, estão a ser utilizados 60% dos cerca de 12 mil hectares abrangidos pelo Aproveitamento Hidroagrícola do Mira (AHM).

Data: 10/05/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial