12h01 - quinta, 30/11/2017

Dinamizar a economia local


Carlos Pinto
No início de Novembro (quase) só se falava da Web Summit. Durante quatro dias, Lisboa foi a capital das inovação, das novas tecnologias, da economia digital e do empreendedorismo, num evento de cariz mundial onde se debateu o futuro, onde foram apresentadas novas ideias de negócio e onde, sobretudo, se investiu. Muito. Milhões de euros (e dólares)! Esta última é, aliás, a faceta mais importante da Web Summit: a sua capacidade de ser uma iniciativa geradora de investimento e parcerias, dinamizando o empreendedorismo.
Convém recordar que uma das regras da economia é que o investimento gera rendimento. Também é certo que nem todos os projectos empresariais/ comerciais estão votados ao sucesso. Por vezes corre bem, por vezes não… Afinal de contas, o erro faz parte do negócio e até ajuda a consolidar ideias, a corrigir lacunas e, por vezes, a abrir novas janelas de oportunidade. Mas para que isto tudo suceda é preciso haver quem incentive e, sobretudo, quem invista.
Por norma, os que avançam com um negócio recorrem a fundos próprios (se os tiverem) ou à banca (se puderem). Mas quantas boas ideias não ficaram já pelo caminho pelo facto do seu promotor não reunir nenhuma destas condições. É por isto que, à escala global, são importantes eventos como a Web Summit. Mas e à escala local? Onde estão os investidores? Ora é neste plano que programas como o "Odemira Empreende" se revestem de vital importância.
De acordo com os últimos dados fornecidos pela Câmara Municipal de Odemira [ver página 16], desde 2015 já foram concedidos, no âmbito deste programa, quase 387 mil euros em apoios financeiros a 71 novos projectos empresariais no concelho. Na prática, foram 387 mil euros "injectados" directamente na economia local, que permitiram em simultâneo a criação de dezenas de novos postos de trabalho. Ora em concelhos longe dos grandes centros urbanos e situados no interior, como é o caso de Odemira, este é um valor substancial. Porque só assim se consegue dinamizar (e diversificar) a economia, criando melhores condições para toda a população.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sábado, 22/09/2018
Capitania de Sines
alerta banhistas
Com o calor anunciado para estes dias, a Capitania do Porto de Sines aconselha os eventuais banhistas da região a adoptarem "uma cultura de segurança e prevenção", redobrando os cuidados junto à água.
07h01 - sexta, 21/09/2018
Normalidade no arranque das aulas em Odemira
Normalidade! É com esta expressão que a vereadora Telma Guerreiro descreve o arranque do novo ano lectivo de 2018-2019 no concelho de Odemira, destacando o facto de o número total de alunos, do pré-escolar ao ensino secundário, se manter estabilizado face ao ano anterior e haver aumento de estudantes nos agrupamentos de Odemira e de São Teotónio.
07h00 - sexta, 21/09/2018
Rácio para o pessoal
auxiliar é insuficiente
O novo ano escolar no concelho de Odemira começa com todos os agrupamentos a cumprirem o rácio legal em matéria de pessoal auxiliar, mas este acaba por ser insuficiente para as necessidades do território, reconhece a vereadora Telma Guerreiro.
07h00 - sexta, 21/09/2018
Debate sobre o SNS
em Santiago do Cacém
As Comissões de Utentes do Litoral Alentejano promovem esta sexta-feira, 21 de Setembro, em Santiago do Cacém, um debate, por forma a assinalar os 39 anos da criação do Serviço Nacional de Saúde (SNS).
07h00 - sexta, 21/09/2018
Craques da orientação
"à prova" em Odemira
Neste fim-de-semana Odemira vai ser a "capital mundial" da orientação em BTT! Tudo porque o concelho recebe, entre sexta-feira e sábado, dias 21 a 23 de Setembro, a ronda final da Taça do Mundo (WMTBO), que juntará cerca de duas centenas de atletas vindos de 15 países de várias latitudes, entre os quais perto de meia centena de portugueses.

Data: 21/09/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial