09h38 - quinta, 15/02/2018

A importância das autarquias


Carlos Pinto
O líder da Partex, a petrolífera que é propriedade da Fundação Calouste Gulbenkian, deu nesta semana que passou uma entrevista ao "Público". Uma conversa onde António Costa e Silva revela, entre outras questões, que a empresa já colocou de parte os projectos de prospecção de hidrocarbonetos (petróleo) que tinha previsto para as zonas costeiras do Alentejo, do Algarve e de Peniche. E sem rodeios, o administrador da Partex justificou a decisão com o facto de o actual Governo, na sua opinião, agir "em função do que dizem os autarcas e a opinião pública".
Ora se o presidente da Partex tem toda a legitimidade em expressar a sua opinião, tal não significa que esta seja a mais acertada. E neste caso em concreto, a opção por um discurso de diabolização do papel dos autarcas e das autarquias parece-nos desfasada daquilo que é a realidade.
Convém lembrar que o Poder Local foi uma das grandes conquistas de Portugal no pós-Revolução de Abril. Foi através dele e dos seus eleitos, homens e mulheres cuja grande ambição é, sobretudo, servir as suas populações, que o país deu enormes passos rumo ao desenvolvimento que era almejado por todos. Foi com o Poder Local que as vilas e aldeias (nomeadamente as do interior) se requalificaram e modernizaram. Foi o Poder Local que construiu grande parte das infra-estruturas e que criou novas dinâmicas económicas e sociais. Foi com o Poder Local que muitas pessoas puderam ter finalmente acesso à Educação, à Cultura e ao Desporto.
É pois de todo injusto colocar nos autarcas (e nas autarquias) o ónus de serem um entrave a uma determinada concepção de desenvolvimento e investimento. Os autarcas (e as autarquias) serão sempre parte interessada naquilo que melhor for para as suas populações e para as suas terras. E neste caso, como em muitos outros, se autarcas (e autarquias) têm mostrado ser acérrimos opositores da aposta na prospecção de petróleo ao largo da costa portuguesa é porque, de facto, estes projectos têm muitos mais contras que prós. Seja para as suas terras, seja para o próprio país.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quinta, 17/01/2019
Concelho de Odemira recebe
409.200 euros para coesão social
Os municípios do distrito de Beja vão receber mais de seis milhões de euros para dinamizarem, nos próximos três anos, novos projectos de coesão social, no sentido de mitigar problemas como o desemprego, a pobreza e o envelhecimento.
07h00 - quinta, 17/01/2019
NDC Odemira com
duas medalhas no
Nacional de Estrada
A equipa de atletismo do Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira (NDCO) teve uma participação bastante positiva no Campeonato Nacional de Estrada/ Corrida Allianz, disputado no último sábado, 12 de Janeiro, em Oeiras, regressando a casa com duas medalhas.
07h00 - quinta, 17/01/2019
REN entrega prémio
"AGIR 2018"
na Carrasqueira
A empresa Redes Eléctricas Nacionais (REN) promove nesta quinta-feira, 17 de Janeiro, a cerimónia de entrega do prémio "AGIR 2018", que decorrerá a partir das 17h00 na sede da Associação da Comunidade Piscatória da Carrasqueira, na Comporta (Grândola).
07h00 - quarta, 16/01/2019
Ossadas humanas
descobertas em Tróia
Uma equipa de arqueólogos descobriu na última segunda-feira, 14 de janeiro, ossadas humanas na crista do areal da Ponta do Verde, nas imediações da Caldeira de Tróia (Grândola), onde está a realizar trabalho de campo.
07h00 - quarta, 16/01/2019
"Tourism Innovation
Journeys" em Sines
O auditório do Centro de Artes de Sines acolhe nesta quarta-feira, 16 de Janeiro, uma sessão pública do projecto "Tourism Innovation Journeys", promovido pelo Instituto Superior de Novas Profissões (INP) e pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e dedicado à valorização turística do Alentejo.

Data: 04/01/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial