09h38 - quinta, 15/02/2018

A importância das autarquias


Carlos Pinto
O líder da Partex, a petrolífera que é propriedade da Fundação Calouste Gulbenkian, deu nesta semana que passou uma entrevista ao "Público". Uma conversa onde António Costa e Silva revela, entre outras questões, que a empresa já colocou de parte os projectos de prospecção de hidrocarbonetos (petróleo) que tinha previsto para as zonas costeiras do Alentejo, do Algarve e de Peniche. E sem rodeios, o administrador da Partex justificou a decisão com o facto de o actual Governo, na sua opinião, agir "em função do que dizem os autarcas e a opinião pública".
Ora se o presidente da Partex tem toda a legitimidade em expressar a sua opinião, tal não significa que esta seja a mais acertada. E neste caso em concreto, a opção por um discurso de diabolização do papel dos autarcas e das autarquias parece-nos desfasada daquilo que é a realidade.
Convém lembrar que o Poder Local foi uma das grandes conquistas de Portugal no pós-Revolução de Abril. Foi através dele e dos seus eleitos, homens e mulheres cuja grande ambição é, sobretudo, servir as suas populações, que o país deu enormes passos rumo ao desenvolvimento que era almejado por todos. Foi com o Poder Local que as vilas e aldeias (nomeadamente as do interior) se requalificaram e modernizaram. Foi o Poder Local que construiu grande parte das infra-estruturas e que criou novas dinâmicas económicas e sociais. Foi com o Poder Local que muitas pessoas puderam ter finalmente acesso à Educação, à Cultura e ao Desporto.
É pois de todo injusto colocar nos autarcas (e nas autarquias) o ónus de serem um entrave a uma determinada concepção de desenvolvimento e investimento. Os autarcas (e as autarquias) serão sempre parte interessada naquilo que melhor for para as suas populações e para as suas terras. E neste caso, como em muitos outros, se autarcas (e autarquias) têm mostrado ser acérrimos opositores da aposta na prospecção de petróleo ao largo da costa portuguesa é porque, de facto, estes projectos têm muitos mais contras que prós. Seja para as suas terras, seja para o próprio país.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quinta, 18/10/2018
Câmara de Grândola com
bons índices financeiros
A Câmara de Grândola surge em destaque em vários dos indicadores do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses de 2017, recentemente editado pela pela Ordem dos Contabilistas Certificados.
07h00 - quinta, 18/10/2018
Bombeiros de Odemira
continuam com dificuldades
A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Odemira (BVO) celebrou na última segunda-feira, 15 de Outubro, o seu 83º aniversário num quadro que, garante o seu presidente, continua a ser de "dificuldade financeira".
07h00 - quarta, 17/10/2018
Odemira aprova projecto
"Odemira Integra +"
Já está em vigor o segundo Plano Municipal para a Integração de Migrantes (PMIM) da Câmara de Odemira, que vai decorrer até 2020 no âmbito do projecto "Odemira Integra+" e que alicerça a política local de acolhimento e integração.
07h00 - terça, 16/10/2018
Responsabilidade social
debatida em Odemira
A Câmara de Odemira promove nesta terça-feira, 16 de Outubro, o Dia da Responsabilidade Social, dinamizado no âmbito do Ser Responsável-Programa de Responsabilidade Social das Empresas do Concelho de Odemira.
07h00 - terça, 16/10/2018
OP de Odemira com 20
projectos pré-aprovados
A Câmara de Odemira já concluiu a fase de análise técnica das propostas apresentadas para o "Orçamento Participativo 2018" (OP), tendo sido aprovados provisoriamente um total de 20 projectos.

Data: 19/10/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial