12h52 - quarta, 28/03/2018

Porque o Interior (também) merece


Carlos Pinto
Os últimos meses colocaram o Interior (e todos os seus problemas) em definitivo na agenda política, da esquerda à direita. Houve tragédias que despertaram o país para um problema há muito denunciado e hoje é totalmente consensual – salvo a opinião de alguns "iluminados" – que combater a desertificação e o despovoamento dos territórios mais distantes do litoral tem de ser uma prioridade de todos. Uma luta antiga, quase sempre inglória, mas que tem agora de ter um desfecho diferente. Porque no país que todos desejamos não pode haver cidadãos com tudo e outros sem acesso a nada. É inadmissível haver portugueses "de primeira" e portugueses "de segunda".
Nesta edição do "SW" apresentamos alguns dos casos concretos que sustentam a necessidade desta "luta" em prol do Interior continuar a ser travada. Desde logo a questão da Justiça e das dificuldades que os cidadãos têm em aceder aos seus serviços. É o que sucede em Odemira, como lamenta a presidente da delegação local da Ordem dos Advogados. Também em Odemira a Assembleia Municipal aprovou duas moções que exigem melhores cuidados de saúde e a criação de um Centro de Inspecções Técnicas de Veículos no concelho. Estes são dois exemplos em Odemira, mas encontram paralelismo em Sines, Santiago do Cacém, Grândola e Alcácer do Sal.
Na prática, o Alentejo Litoral só o é de nome. Quanto ao resto, padece de todos os problemas que afectam os territórios do Interior de Norte a Sul. Isto numa região que congrega em si um potencial económico tremendo. Mas poderemos nós crescer no turismo sem ter cuidados de Saúde em quantidade e qualidade? Ter uma agricultura rentável e sustentável sentindo-se necessidades na Educação e na Justiça? Ou desejar que o Porto de Sines continue a crescer sem ter acessibilidades à altura? Parece-nos bem que não…
Não se pede aqui que sejam criados novos serviços do Estado em cada esquina, mas é necessário fazer uma análise lúcida do que faz falta. Um trabalho que deve ser feito em conjunto entre o Governo e as autarquias e que dê azo a soluções concretas e justas, sem estarem baseadas em mapas de Excel ou quadros em Powerpoint.
O Interior também merece atenção. Não por caridade ou solidariedade, mas por ter esse direito e por estar nele o futuro do país.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
08h00 - sexta, 17/08/2018
Selecção polaca de canoagem
em Santa Clara-a-Velha
A Selecção Nacional da Polónia de canoagem está a estagiar na barragem de Santa Clara-a-Velha, no concelho de Odemira, tendo em vista a sua participação no Campeonato Mundo de velocidade, que decorre na próxima semana em Montemor-o-Velho.
08h00 - sexta, 17/08/2018
Pequenas empresas de
Santiago sem Derrama
A Câmara de Santiago do Cacém aprovou nesta quinta-feira, 16, manter em 2019 a isenção de pagamento de Derrama para as empresas sediadas no concelho cuja facturação anual não ultrapasse os 150 mil euros.
07h00 - quinta, 16/08/2018
Cinco detidos por
tráfico no Sudoeste 2018
A GNR deteve cinco pessoas, com idades entre os 16 e os 20 anos, por suspeitas da prática do crime de tráfico de estupefacientes durante a última edição do Festival Meo Sudoeste, que decorreu na Zambujeira do Mar entre 7 e 11 de Agosto.
07h00 - quinta, 16/08/2018
CM Grândola tem
novo autocarro
A Câmara de Grândola acaba de adquirir um novo autocarro de 42 lugares, equipado com plataforma eléctrica para pessoas com mobilidade reduzida, num investimento superior a 200 mil euros.
07h00 - quinta, 16/08/2018
Joana Luz apresenta
novo disco em Odemira
O Quintal da Música, em Odemira, recebe nesta quinta-feira, 16 de Agosto, um espectáculo da fadista Joana Luz, que irá aproveitar a ocaisão para apresentar o seu novo CD.

Data: 03/08/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial