15h57 - quinta, 12/04/2018

Abril também significa futuro


Carlos Pinto
n Dentro de semana e meia assinala-se mais um aniversário da Revolução de Abril. Uma revolução que se fez serena, sem sangue, onde o grande herói foi o povo. Uma revolução que iluminou a noite escura que se abatia sobre Portugal há mais de meio século e que na manhã daquele dia inteiro e limpo abriu novos horizontes a um país atrasado e retrógado. Uma revolução que já tem 44 anos, mas que não pode ser esquecida por quem a viveu nem ignorada pelos que depois dela nasceram. Sobretudo pelos ideais que a moveram e pelos valores que a consolidaram: liberdade e igualdade.
Nos tempos que correm estes são, cada vez mais, conceitos abstractos. A liberdade é um dado adquirido e por vezes subestimado. E a igualdade pouco importa se tivermos aquilo que desejamos no plano individual. Daí que não seja de estranhar que muitos olhem para a Democracia como uma coisa vaga, algo de que podíamos abdicar em nome de certas ambições ou temores. Assim se explicam as derivas populistas que grassam mundo fora e que, a qualquer momento, podem vir bater à nossa porta. E para que isso não suceda é imprescindível que as gerações mais novas percebam efectivamente o que é a Liberdade. Que sintam que ter a capacidade de escolher o presente e decidir o futuro é um direito... mas também um dever.
Vem isto a propósito da iniciativa da Câmara de Odemira, que no âmbito das "Jornadas Escolares 2018" promoveu uma Assembleia Municipal Jovem extraordinária. Sentados à mesma mesa com os deputados municipais, dezenas de jovens do concelho tiveram a oportunidade de apresentar ideias, debater argumentos e votar propostas. Duas delas terão agora de ser executadas no prazo de um ano, com um orçamento "generoso" atribuído pelo Município que tem de ser gerido pelos próprios estudantes.
Aos olhos de muitos esta iniciativa pode parecer pouco relevante. Inútil até! Mas estão enganados e errados... Porque também é desta forma que se promove a Democracia e os valores de Abril. Só trazendo as novas gerações para o centro do debate da causa pública se garante o futuro. Aquele futuro que milhares sonharam quando gritavam "Liberdade" na manhã de 25 de Abril de 1974.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 22/10/2018
Grândola inaugura
nova Casa dos
Produtos Endógenos
Valorizar os produtos locais é o grande objectivo da nova Casa Mostra de Produtos Endógenos, espaço que a Câmara de Grândola inaugura nesta segunda-feira, 22 de Outubro (Dia do Município), pelas 11h30.
07h00 - segunda, 22/10/2018
Acidente mortal na estrada
entre Odemira e Milfontes
Um jovem de 27 anos faleceu neste domingo, 21 de Outubro, na sequência de uma colisão entre um veículo ligeiro e um pesado na Estrada Nacional 393, entre Odemira e Vila Nova de Milfontes.
07h00 - segunda, 22/10/2018
Odemira vai ter Gabinete de Apoio ao Cuidador
Permitir o atendimento e o acompanhamento psicológico e social dos cuidadores formais e informais do concelho de Odemira é a grande meta do projecto "Cui(Dar) +", da TAIPA-Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira.
07h00 - segunda, 22/10/2018
Arranca segunda
fase das obras
no bairro das Flores
A Câmara de Santiago do Cacém inicia nesta segunda-feira, 22 de Outubro, a segunda fase das obras de requalificação do bairro das Flores, em Vila Nova de Santo André, que devem prolongar-se por três meses.
10h00 - domingo, 21/10/2018
Marco Rodrigues
ao vivo em Grândola
O fadista Marco Rodrigues actua neste domingo, 21 de Outubro, em Grândola, num concerto integrado nas comemorações dos 474 anos do Dia do Concelho e que servirá para apresentar o disco "Copo Meio Cheio".

Data: 19/10/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial