17h24 - quinta, 26/04/2018

Insuficiência cardíaca


Cláudia Silva
Aproxima-se o mês de Maio, conhecido como "Mês do Coração", e por isso queria falar-vos da insuficiência cardíaca (IC), pois decorrente do envelhecimento da população a prevalência desta condição continua a aumentar.
A IC define-se como uma anomalia funcional ou estrutural que resulta na incapacidade do coração fornecer oxigénio de forma a corresponder às exigências das necessidades do organismo. De forma mais simplista, pode-se dizer que o coração fica mais fraco, tem menos força para fazer o sangue circular e irrigar os diferentes órgãos e sistemas. Como forma de compensar, nuns casos, o coração dilata-se e, noutros casos, as paredes do ventrículo esquerdo tornam-se progressivamente mais espessas (para ganhar força para impulsionar mais sangue).
Estas adaptações compensatórias ajudam durante algum tempo, mas progressivamente o coração vai-se degradando e perdendo a força. Os rins actuam como mecanismo de compensação da IC, pois retêm líquidos, sob a forma de água e sal, para aumentar o volume de sangue e estimular o coração. Com o tempo estes líquidos vão-se acumulando nos tornozelos, nas pernas, no fígado, nos pulmões e, por fim, em todo o corpo, causando inchaço, falta de ar, cansaço e aumento de peso. Todo este processo é progressivo, e ocorre ao longo de anos.
O problema é que a IC está associada e um conjunto de factores de risco que podem conduzir a esta condição, mas que são "silenciosos", como sejam a própria doença coronária, hipertensão arterial, hipercolesterolemia, diabetes, tabagismo e obesidade. Assim, o estabelecimento de um diagnóstico de IC parece não causar muita preocupação na população em geral, mas a verdade é que esta doença é responsável por duas a três vezes mais mortes do que o cancro da mama e o cancro do cólon!
Um estudo muito recente (Janeiro 2018) diz-nos que a IC é já considerada uma ameaça à saúde pública, pois apresenta uma elevada taxa de mortalidade num número bastante significativo de pessoas. Baseadas nas alterações demográficas perspectivadas, associadas ao envelhecimento populacional, prevê-se que este número esteja em ascensão: comparando com os dados de 2011, prevê-se um aumento de 30% em 2035 e de 33% em 2060, com um número de 479.921 e 494.191 pessoas afectadas em 2035 e 2060, respectivamente.
A concretizar-se, tal traduzir-se-á num elevado impacto na saúde dos portugueses e um profundo impacto também na economia nacional. Apesar dos progressos dos últimos anos (tratamento farmacológico e o desenvolvimento de novos dispositivos médicos) parecerem constituir medidas que podem contrariar esta tendência, tal será uma "luta" infrutífera se não conseguirmos controlar os factores de risco eficazmente! Nesta esfera é essencial o envolvimento da população neste objectivo. Embora os conselhos para a prevenção das doenças cardiovasculares já sejam sobejamente conhecidos, nunca será demais relembrar.
A Fundação Portuguesa de Cardiologia aconselha um regime alimentar variado, característico da Dieta Mediterrânica, optando pela redução de sal, e limitar o consumo de comidas gordas, bem como evitar o consumo excessivo de álcool e cafeína. A dieta deve conter fruta, vegetais, peixe e produtos com baixa quantidade de gordura. O exercício físico é naturalmente aconselhado e deverá ser regular, como por exemplo andar ou nadar. Deverá apenas suspender o exercício se tiver tonturas ou falta de ar, dor no peito, náuseas ou sudorese abundante, e pedir o conselho médico ou de enfermagem.



COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 25/09/2018
"Sonoridades & Sabores"
regressa em Novembro
O roteiro "Sonoridades & Sabores" regressa ao interior do concelho de Odemira no próximo mês de Novembro, no sentido de valorizar e promover as tradições do cante ao despique e baldão e da viola campaniça ao longo de tardes culturais com muita música e petiscos.
07h00 - terça, 25/09/2018
"Street art" na zona
desportiva de Grândola
O artista STYLER (nome artístico de João Cavalheiro) está a realizar um grafitti na fachada sul do Complexo Desportivo Municipal José Afonso, em Grândola, no âmbito da quinta edição do "Arte na Rua".
07h00 - terça, 25/09/2018
Rácio para pessoal auxiliar
em Odemira é insuficiente
O novo ano escolar no concelho de Odemira começou com todos os agrupamentos a cumprirem o rácio legal em matéria de pessoal auxiliar, mas este acaba por ser insuficiente para as necessidades do território, reconhece a vereadora da Educação na Câmara Municipal local.
07h00 - segunda, 24/09/2018
CM Grândola também rejeita
transferência de competências
A maioria CDU na Câmara e Assembleia Municipal de Grândola aprovaram não aceitar a transferência de competências da administração central para a autarquia no próximo ano de 2019.
21h34 - domingo, 23/09/2018
Odemirense e Milfontes
entram a perder na época
Odemirense e Praia de Milfontes entraram de "pé esquerdo" na Taça de Honra da 1ª divisão distrital de Beja, ao perderem os seus jogos na ronda inaugural da nova prova do calendário de 2018-2019.

Data: 21/09/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial