16h32 - quinta, 24/05/2018

Incompreensível e inaceitável


Carlos Pinto
Ao longo do último ano foram várias as vezes a que nos referimos neste espaço (e neste jornal) ao projecto do consórcio que junta a petrolífera italiana ENI à portuguesa GALP, visando a prospecção de hidrocarbonetos (leia-se petróleo) ao largo da costa alentejana. Sempre para considerar que esta intenção era completamente contraditória aos interesses regionais e nacionais, fosse porque coloca em causa os valores naturais locais, porque ameaça um sector importantíssimo (e em crescendo) como é o turismo ou porque vai ao arrepio daquilo que devem ser os esforços de Portugal no sentido de depender cada vez menos dos combustíveis fósseis.
Durante estes meses foram várias as vozes críticas ao processo, todas apresentando argumentos mais que válidos na oposição ao projecto da ENI e da GALP e muitas com acções concretas, por forma a tentar colocar termo ao mesmo, caso da providência cautelar apresentada pela Câmara Municipal de Odemira. Por tudo isto, e depois do que sucedeu no Algarve, era legítimo acreditar que o furo na bacia do Alentejo não iria mesmo avançar. Até que na passada semana a Agência Portuguesa do Ambiente deu "luz verde" ao consórcio, isentando-o de apresentar um estudo de impacto ambiental.
Ora esta é uma decisão incompreensível e inaceitável. Mas não tem de ser irremediável! Esperamos, portanto, que haja capacidade por parte de quem de direito para travar este processo, independentemente deste respeitar o que está contratualizado ou é exigido juridicamente. Porque neste caso, acima da lei tem de imperar o bom senso. E fazer um furo em busca de petróleo numa zona tão preciosa como é a mais bela costa do mundo não parece, de todo, uma boa decisão…

2. O mau estado das estradas nacionais que servem o concelho de Odemira voltam a estar em destaque nas páginas deste jornal [páginas 6 e 7]. Os problemas são os mesmos de há muito: ausência de conservação das vias e falta de segurança para os automobilistas. O diagnóstico está feito, exige-se agora acção. Tem a palavra a empresa Infra-estruturas de Portugal.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quinta, 21/06/2018
Noites de música
na vila de Odemira
Do cante alentejano ao jazz, da world music à música clássica e à poesia, são vários os estilos (e os artistas) que vão passar pelo palco do Quintal da Música, em Odemira, nas noites de Verão.
07h00 - quinta, 21/06/2018
PSD "indignado" com
fecho da CGD em Colos
O PSD de Odemira garante estar "indignado" com o provável encerramento do balcão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em Colos, considerando ser "uma injustiça que o Governo e os partidos que o suportam permitam que isto aconteça".
07h00 - quinta, 21/06/2018
Título de atletismo para
Casa do Povo de S. Luís
A equipa de atletismo da Casa do Povo de São Luís garantiu no passado sábado, 16 de Junho, o título distrital por equipas no campeonato distrital de juniores no sector masculino.
07h00 - quarta, 20/06/2018
CDS-PP questiona
Câmara de Sines
Quatro deputados do CDS-PP enviaram um requerimento à Câmara de Sines, no qual questionam o executivo liderado por Nuno Mascarenhas sobre o futuro Centro de Recolha Oficial para Animais de Companhia.
07h00 - quarta, 20/06/2018
ANAFRE reuniu com
autarcas em Milfontes
O provável encerramento da agência da Caixa Geral de Depósitos em Colos, no concelho de Odemira, vai ser discutido na próxima reunião do conselho directivo da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), que se realiza na sexta-feira, 22.

Data: 08/06/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial