16h32 - quinta, 24/05/2018

Incompreensível e inaceitável


Carlos Pinto
Ao longo do último ano foram várias as vezes a que nos referimos neste espaço (e neste jornal) ao projecto do consórcio que junta a petrolífera italiana ENI à portuguesa GALP, visando a prospecção de hidrocarbonetos (leia-se petróleo) ao largo da costa alentejana. Sempre para considerar que esta intenção era completamente contraditória aos interesses regionais e nacionais, fosse porque coloca em causa os valores naturais locais, porque ameaça um sector importantíssimo (e em crescendo) como é o turismo ou porque vai ao arrepio daquilo que devem ser os esforços de Portugal no sentido de depender cada vez menos dos combustíveis fósseis.
Durante estes meses foram várias as vozes críticas ao processo, todas apresentando argumentos mais que válidos na oposição ao projecto da ENI e da GALP e muitas com acções concretas, por forma a tentar colocar termo ao mesmo, caso da providência cautelar apresentada pela Câmara Municipal de Odemira. Por tudo isto, e depois do que sucedeu no Algarve, era legítimo acreditar que o furo na bacia do Alentejo não iria mesmo avançar. Até que na passada semana a Agência Portuguesa do Ambiente deu "luz verde" ao consórcio, isentando-o de apresentar um estudo de impacto ambiental.
Ora esta é uma decisão incompreensível e inaceitável. Mas não tem de ser irremediável! Esperamos, portanto, que haja capacidade por parte de quem de direito para travar este processo, independentemente deste respeitar o que está contratualizado ou é exigido juridicamente. Porque neste caso, acima da lei tem de imperar o bom senso. E fazer um furo em busca de petróleo numa zona tão preciosa como é a mais bela costa do mundo não parece, de todo, uma boa decisão…

2. O mau estado das estradas nacionais que servem o concelho de Odemira voltam a estar em destaque nas páginas deste jornal [páginas 6 e 7]. Os problemas são os mesmos de há muito: ausência de conservação das vias e falta de segurança para os automobilistas. O diagnóstico está feito, exige-se agora acção. Tem a palavra a empresa Infra-estruturas de Portugal.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 18/12/2018
Turismo cresce
no concelho de
Santiago do Cacém
O concelho de Santiago do Cacém registou um crescimento na procura turística no ano de 2017, com um aumento no número de dormidas e dos benefícios económicos que as empresas de alojamento obtiveram.
07h00 - terça, 18/12/2018
Taça da Liga de
futsal em Sines já
tem calendário
Já está definido o calendário de jogos da quarta edição da Taça de Liga de futsal, que será disputada no Pavilhão Multiusos de Sines entre os dias 10 e 13 de Janeiro com os oito primeiros classificados da primeira volta da Liga Sport Zone.
07h00 - terça, 18/12/2018
Quatro propostas vencem
"Orçamento Participativo"
Foram quatro as propostas vencedoras do "Orçamento Participativo" (OP) da Câmara de Odemira em 2018, que serão implementadas a partir de 2019 e representam um investimento municipal total de 500 mil euros.
07h00 - segunda, 17/12/2018
Odemira revela vencedores do
"Orçamento Participativo 2018"
A Câmara de Odemira promove nesta segunda-feira, 17 de Dezembro, a sessão de apresentação dos resultados do "Orçamento Participativo 2018" (OP), onde serão revelados os projectos vencedores deste ano.
07h00 - segunda, 17/12/2018
CM Alcácer entrega
habitações sociais
A Câmara de Alcácer do Sal promove nesta segunda-feira, 17 de Dezembro, a cerimónia de entrega das chaves de sete habitações sociais a outras tantas famílias necessitadas do concelho.

Data: 14/12/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial