16h10 - quinta, 20/09/2018

Um país a régua e esquadro


Carlos Pinto
De acordo com a vereadora responsável pelo pelouro da Educação na Câmara Municipal de Odemira, o novo ano escolar no concelho começa com todos os agrupamentos de escolas a cumprirem aquele que é o rácio legal em matéria de pessoal auxiliar. Até aqui tudo bem… Não fosse o facto de ser unanimemente reconhecido que estes mesmos rácios acabam por ser claramente insuficientes para aquelas que são as reais necessidades de um território tão disperso como Odemira, com escolas separadas por vários quilómetros apesar de pertencerem ao mesmo agrupamento [ver notícia nas páginas 4 e 5 desta edição]. Um quadro que se repete em Santiago do Cacém e, seguramente, em muitos outros pontos do país!
Esta situação – como muitas outras em distintas áreas – são o exemplo de como o país não pode ser visto como um todo, adoptando sempre os mesmos critérios e as mesmas regras. Porque dentro do país há diversos "países", cada qual com as suas especificidades próprias e muito concretas.
É por isso que os rácios de pessoal auxiliar de um agrupamento de escolas no Seixal nunca podem ser os mesmos que em Colos, mesmo que no primeiro haja mais alunos que no segundo. Tal como é impensável utilizar os mesmos critérios para a distribuição de camas em lares de idoso em Lisboa e no Alentejo ou ser muito discutível aplicar as mesmas regras na distribuição de serviços públicos no Grande Porto e no concelho de Almodôvar.
Tudo isto leva a uma conclusão: temos, de uma vez por todas, de deixar de ter um país ordenado "a régua e esquadro", que não leva em linha de conta as potencialidades e condicionantes de cada território. Se o conseguirmos, poderemos então almejar ter mais coesão territorial e garantir que continue a haver esperança para quem (sobre)vive no interior.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 19/02/2019
Marca "Escalabardo"
apresentada em S. Luís
Depois de muitos meses de trabalho no atelier instalado no Cerro do Moinho, a Junta de Freguesia de São Luís apresenta nesta terça-feira, 19 de Fevereiro, a marca "Escalabardo", resultado do projecto de cariz ambiental, social e comunitário que tem o mesmo nome.
07h00 - terça, 19/02/2019
EB 1 do Cercal
com bons resultados
A Escola Básica nº 1 do Cercal do Alentejo, no concelho de Santiago do Cacém, surge no topo do ranking das escolas públicas, divulgado no último sábado, 16 de Fevereiro.
07h00 - terça, 19/02/2019
Luís Bernardo Freitas
reeleito no PSD Odemira
O empresário Luís Bernardo Freitas foi reeleito no último sábado, 16 de Fevereiro, presidente da comissão política da Secção de Odemira do PSD, cargo que vai continuar a desempenhar nos próximos dois anos.
07h00 - segunda, 18/02/2019
Obra do Parque Urbano
avança em Alcácer do Sal
A Câmara de Alcácer do Sal ajudicou no final da passada semana, em reunião do executivo municipal, a obra do Parque Urbano da cidade, avaliada em cerca de 3,1 milhões de euros, à empresa António Saraiva e Filhos, Lda.
07h00 - segunda, 18/02/2019
Atletas de Sines são
esperanças olímpicas
A nadadora Ana Sofia Sousa e o ginasta Rúben Tavares entram nas contas para os Jogos Olímpicos de 2024, em Paris, tendo participado no final de Janeiro no Encontro Nacional de Esperanças Olímpicas.

Data: 15/02/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial