17h34 - quinta, 18/10/2018

"Caem co'a calma as aves"


António Martins Quaresma
Por momentos, tirou os olhos do computador. Tinha despendido 15 minutos na rede social, ultrapassando, em muito, o que costumava gastar diariamente. "Tempo inutilmente consumido", pensou. "Quem me manda a mim ser parvo: Facebook, só três minutos, no máximo, com descanso às segundas, quartas e sextas", remoeu, entre dentes.
De súbito, as suas lucubrações foram interrompidas por uma urgência doméstica. Não havia pão, esse imprescindível produto em qualquer casa alentejana, e alguém tinha de resolver o problema, antes que a multidão de banhistas rapasse completamente as respectivas vitrinas, no supermercado. Sabem, "banhistas" são, para ele e para os seus círculos familiar e de amigos, os turistas. É resquício de um tempo em que todos assim designavam os forasteiros, que frequentavam as praias da foz do rio Mira na época estival.
Assim, no sábado abrasador, foi forçado a sair de casa pela hora da maior calma. Quando deixou o relativo fresco da habitação e se engolfou na canícula, o embate do bafo ardente fê-lo recuar. Veio-lhe à cabeça uma praga, que nem teve energia para verbalizar, e arremeteu segunda vez, em passo rápido, mas pouco firme, rua e inferno adiante.
Não tardou que os 40º Celsius (ou 50, ou lá o que era) começassem a fazer estragos no seu já débil equilíbrio fisiológico. A meio caminho, foi invadido por uma estranha sensação de quase imponderabilidade, ao mesmo tempo que cogitava continuamente "O sol é grande, caem co'a calma as aves", e, quanto mais repisava, mais procurava indagar, nas profundezas da sua diluída memória, a origem e a razão deste singular pensamento. Não avistava qualquer ave, nem sequer o melro-de-bico-amarelo, que, do quintal, regularmente, observava e, até Junho, ouviu cantar, ou a frágil alvéola, que, saltitante, usava debicar entre as ervas.
E, mais uma vez, numa vertigem: "O sol é grande, caem co'a calma as aves". Então, numa epifania: "Já sei, o Simbolismo, verso de Camilo Pessanha". Uns segundos depois: "Grande asno, não tem nada a ver, é Sá de Miranda!", ciciou surdamente, ao conseguir extrair, da massa cinzenta, a informação, que depois veio a confirmar estar certa. Irrelevante, porém, para explicar o estranho fenómeno e, menos ainda, para o livrar do abrasamento.
Pouco tempo depois, já na segurança do lar, seguindo o exemplo de milhões de portugueses, armou em expert, e ensaiou uma explicação arguta para o caso. Como é incréu, não buscou na acção divina uma aclaração. Em vez disso, concebeu que, face à paralisia do seu consciente, pelo sufoco térmico, o subconsciente ofereceu uma imagem poética para lhe ocupar o espírito, à laia de meditação oriental, e, desta maneira, ajudou-o a superar a provação. Satisfeito com o que julgou ter sido uma penetrante reflexão, começou a cortar uma fatia de pão.
Não tinha ainda terminado o gesto, caiu – finalmente – em si: "Tenho que me pôr a pau, tou a ficar taralhouco, com'ó caraças!"



Outros artigos de António Martins Quaresma

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quinta, 17/01/2019
Concelho de Odemira recebe
409.200 euros para coesão social
Os municípios do distrito de Beja vão receber mais de seis milhões de euros para dinamizarem, nos próximos três anos, novos projectos de coesão social, no sentido de mitigar problemas como o desemprego, a pobreza e o envelhecimento.
07h00 - quinta, 17/01/2019
NDC Odemira com
duas medalhas no
Nacional de Estrada
A equipa de atletismo do Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira (NDCO) teve uma participação bastante positiva no Campeonato Nacional de Estrada/ Corrida Allianz, disputado no último sábado, 12 de Janeiro, em Oeiras, regressando a casa com duas medalhas.
07h00 - quinta, 17/01/2019
REN entrega prémio
"AGIR 2018"
na Carrasqueira
A empresa Redes Eléctricas Nacionais (REN) promove nesta quinta-feira, 17 de Janeiro, a cerimónia de entrega do prémio "AGIR 2018", que decorrerá a partir das 17h00 na sede da Associação da Comunidade Piscatória da Carrasqueira, na Comporta (Grândola).
07h00 - quarta, 16/01/2019
Ossadas humanas
descobertas em Tróia
Uma equipa de arqueólogos descobriu na última segunda-feira, 14 de janeiro, ossadas humanas na crista do areal da Ponta do Verde, nas imediações da Caldeira de Tróia (Grândola), onde está a realizar trabalho de campo.
07h00 - quarta, 16/01/2019
"Tourism Innovation
Journeys" em Sines
O auditório do Centro de Artes de Sines acolhe nesta quarta-feira, 16 de Janeiro, uma sessão pública do projecto "Tourism Innovation Journeys", promovido pelo Instituto Superior de Novas Profissões (INP) e pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e dedicado à valorização turística do Alentejo.

Data: 04/01/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial