15h21 - quinta, 28/02/2019

O cigarro bom, o cigarro mau e o coração?!


Cláudia Silva
Os efeitos nocivos do tabaco convencional na Saúde são sobejamente conhecidos, principalmente no que se refere ao sistema cardiovasculares – o coração.
O tabaco convencional é responsável por 30% de todas as mortes, sendo o fator de risco que, isoladamente, mais contribui para a mortalidade cardiovascular – o cigarro mau.
O fumo mata, seja inalado de forma ativa ou passiva, contudo, ainda assim se mantêm como um problema de saúde real. Em virtude desta evidência, a indústria começou a desenvolver produtos alternativos, tendo surgido o cigarro eletrónico e, mais recentemente, o cigarro aquecido. Este último é tido como menos nocivo – o cigarro bom – em que não há combustão, pois apenas aquece. Sendo um produto recente, os seus riscos e toxicidade poderão ainda não ser devidamente conhecidos e/ou difundidos.
Um estudo realizado em 2017 pelo Instituto Nacional de Saúde Pública do Japão avaliou os vários compostos nocivos existentes no fumo e enchimento de um cigarro aquecido (nicotina, alcatrão, monóxido de carbono e nitrosaminas específicas do tabaco) e comparou-os com as concentrações do cigarro de combustão convencional. Concluiu-se que as concentrações de nicotina eram quase as mesmas dos cigarros de combustão convencionais, enquanto a concentração de nitrosaminas era um quinto e o monóxido de carbono era um centésimo dos cigarros de combustão convencionais.
De facto as concentrações são inferiores, mas também é um facto que estes compostos tóxicos não foram completamente removidos do fumo do cigarro aquecido, pelo que será necessário considerar os efeitos sobre a saúde da população.
Por cá, a nossa legislação parece acompanhar a evidência científica, já que desde 1 de janeiro de 2018 que não é permitido utilizar o cigarro aquecido em espaços fechados, evitando assim a inalação passiva. O conceito de fumar passou a abranger os novos produtos do tabaco sem combustão que produzam aerossóis, vapores, gases ou partículas inaláveis.
O fato é que nesta história não existe um cigarro "bom" ou um cigarro "mau", existem apenas pessoas, cuja saúde – em particular, o coração – é gravemente afetada pelo consumo de tabaco, seja o convencional, eletrónico ou aquecido!
O tabaco continua a ser um fator de risco importante para a doença cardíaca, pelo que é determinante que as organizações de saúde continuem a desenvolver medidas de sensibilização para o seu controlo e/ou eliminação!

A autora utiliza o novo
Acordo Ortográfico



COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - sexta, 14/02/2020
Nadadores de Odemira
com bons resultados
Os nadadores do Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira (NDCO) estiveram em bom plano no III Meeting Internacional Luso-Andaluz, que se realizou a 8 e 9 de Fevereiro nas piscinas da cidade de Tomar.
07h00 - sexta, 14/02/2020
Secretário da Energia
dos EUA visitou Sines
O Porto de Sines recebeu, na quarta-feira, 12, a visita do secretário da Energia dos EUA, Dan Brouillette, que se fez acompanhar pelo embaixador dos EUA em Lisboa, George Glass, e pelo ministro das Infra-estruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos.
07h00 - sexta, 14/02/2020
Faltam médicos na
freguesia de S. Teotónio
A população da freguesia de São Teotónio, no concelho de Odemira, está indignada pela falta de médicos no Posto de Saúde local.
07h00 - sexta, 14/02/2020
População de São Teotónio organiza protesto
A falta de médicos no Centro de Saúde de São Teotónio levou a população a agendar para esta sexta-feira, 14 de Fevereiro, uma vigília de protesto contra a situação.
07h00 - quinta, 13/02/2020
NDCO conquista títulos
distritais no corta-mato
O NDCO somou três títulos de corta-mato nos campeonatos distritais de Corta-Mato Absoluto Curto e Corta-Mato Jovem, que decorreram na manhã do último domingo, 9 de Fevereiro, em Messejana (concelho de Aljustrel).

Data: 14/02/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial