15h21 - quinta, 28/02/2019

O cigarro bom, o cigarro mau e o coração?!


Cláudia Silva
Os efeitos nocivos do tabaco convencional na Saúde são sobejamente conhecidos, principalmente no que se refere ao sistema cardiovasculares – o coração.
O tabaco convencional é responsável por 30% de todas as mortes, sendo o fator de risco que, isoladamente, mais contribui para a mortalidade cardiovascular – o cigarro mau.
O fumo mata, seja inalado de forma ativa ou passiva, contudo, ainda assim se mantêm como um problema de saúde real. Em virtude desta evidência, a indústria começou a desenvolver produtos alternativos, tendo surgido o cigarro eletrónico e, mais recentemente, o cigarro aquecido. Este último é tido como menos nocivo – o cigarro bom – em que não há combustão, pois apenas aquece. Sendo um produto recente, os seus riscos e toxicidade poderão ainda não ser devidamente conhecidos e/ou difundidos.
Um estudo realizado em 2017 pelo Instituto Nacional de Saúde Pública do Japão avaliou os vários compostos nocivos existentes no fumo e enchimento de um cigarro aquecido (nicotina, alcatrão, monóxido de carbono e nitrosaminas específicas do tabaco) e comparou-os com as concentrações do cigarro de combustão convencional. Concluiu-se que as concentrações de nicotina eram quase as mesmas dos cigarros de combustão convencionais, enquanto a concentração de nitrosaminas era um quinto e o monóxido de carbono era um centésimo dos cigarros de combustão convencionais.
De facto as concentrações são inferiores, mas também é um facto que estes compostos tóxicos não foram completamente removidos do fumo do cigarro aquecido, pelo que será necessário considerar os efeitos sobre a saúde da população.
Por cá, a nossa legislação parece acompanhar a evidência científica, já que desde 1 de janeiro de 2018 que não é permitido utilizar o cigarro aquecido em espaços fechados, evitando assim a inalação passiva. O conceito de fumar passou a abranger os novos produtos do tabaco sem combustão que produzam aerossóis, vapores, gases ou partículas inaláveis.
O fato é que nesta história não existe um cigarro "bom" ou um cigarro "mau", existem apenas pessoas, cuja saúde – em particular, o coração – é gravemente afetada pelo consumo de tabaco, seja o convencional, eletrónico ou aquecido!
O tabaco continua a ser um fator de risco importante para a doença cardíaca, pelo que é determinante que as organizações de saúde continuem a desenvolver medidas de sensibilização para o seu controlo e/ou eliminação!

A autora utiliza o novo
Acordo Ortográfico



Outros artigos de Cláudia Silva

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 18/07/2019
FACECO 2019 apoia
pescadores da Azenha
A FACECO terá um cariz solidário em 2019, uma vez que metade do valor resultante da venda de entradas reverterá para a campanha solidária que está a decorrer em favor dos pescadores da Azenha do Mar afectados pelo incêndio de 6 de Maio.
07h00 - quinta, 18/07/2019
"Músicas do Mundo"
arranca no Porto Covo
Arranca nesta quinta-feira, 18 de Julho, a 21ª edição do Festival Músicas do Mundo (FMM) de Sines, que promete uma viagem em redor do globo através da música até ao próximo dia 27 de Julho (sábado), com concertos em Porto Covo e Sines.
07h00 - quinta, 18/07/2019
Transportes públicos mais baratos
em Agosto no Alentejo Litoral
As populações dos cinco concelhos do Alentejo Litoral vão passar a pagar, a partir de Agosto, um máximo de 40 euros por mês pelo seu passe nas viagens realizadas através da Rodoviária do Alentejo com origem e destino nestes municípios.
07h00 - quarta, 17/07/2019
Concurso de fotografia
em Santiago do Cacém
já tem vencedor
Nuno Alexandre Mateus, com o trabalho "Interacções", foi o vencedor da quarta edição do concurso de fotografia "Num instante… um novo olhar", promovido pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém.
07h00 - quarta, 17/07/2019
Alcácer do Sal
promove actividades
para os mais novos
A Câmara de Alcácer do Sal e o Agrupamento de Escolas local promovem até ao final da próxma semana, 26 de Julho, mais uma edição do programa de Actividades de Animação e Apoio à Família (AAAF).

Data: 05/07/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial