12h27 - quinta, 28/11/2019

Continuar a trabalhar para combater a SIDA


Helena Sarmento
Passados mais de 30 anos do início da epidemia da infeção VIH/SIDA, talvez tenhamos a tentação de pensar que a situação está controlada e que podemos cruzar os braços no que diz respeito às medidas de prevenção. Mas esta não é a verdade.
Ainda que o número de infeções tenha reduzido significativamente, segundo os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) referentes a 2018, percebermos que há 37,9 milhões de pessoas que vivem com o VIH, sendo que 1,7 milhões são infeções de novo (em 1997 atingimos o pico de 2,9 milhões). Ainda há caminho a percorrer para atingirmos as metas definidas pela OMS dos 90-90-90 para 2020, isto é, 90 por cento das pessoas que vivem com o vírus estarem diagnosticadas, 90 por cento dessas em tratamento e dos que estão em tratamento 90 por cento com carga viral indetetável.
Em Portugal, o panorama é mais animador e parece-nos estarmos a atingir as metas. Assim, nos dados nacionais referentes a 2017, 91,7 por cento das pessoas que vivem com o vírus estão diagnosticadas, 86,8 por cento dessas estão em tratamento e 90,3 por cento têm carga viral indetetável. Mas não podemos parar por aqui, até porque novas metas estão lançadas: os 95-95-95 até 2030!
Temos de continuar a apostar na prevenção, de modo a que as pessoas infetadas se possam proteger a si mesmas e proteger os outros. É importante o diagnóstico precoce, disponibilizando testes de rastreio, sem que haja lugar a qualquer tipo de discriminação ou de estigma. Hoje, felizmente, há a possibilidade de fazer esses testes nos serviços de saúde, nos CAD (Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce), em muitas organizações da comunidade e, mais recentemente, de os adquirir nas farmácias de ambulatório.
Não é demais salientar a importância dos diagnósticos precoces, até porque apesar do número de infeções em Portugal ter diminuído significativamente, a taxa de diagnóstico tardio da doença é no nosso país uma das mais altas da União Europeia. De referir ainda a necessidade do rastreio de outras infeções que muitas vezes acompanham esta, como as hepatites B e C, para além de outras de transmissão sexual. É importante a educação para a saúde, estimulando práticas de sexo seguro e novas modalidades de prevenção (como a Profilaxia pré-exposição - PrEP; Profilaxia pós Exposição – PEP; o uso de material esterilizado no consumo de drogas endovenosas; etc.).
Não podemos parar de divulgar informação correta, dirigida a toda a população e, sobretudo, aos jovens e às populações mais vulneráveis. É importante que os profissionais de saúde vão atualizando os seus conhecimentos nesta área, apostando na sua formação contínua, ficando assim habilitados para o aconselhamento pré e pós testes de rastreio, tendo sempre em vista o maior respeito pela dignidade e direitos da pessoa.
O lema deste ano para o Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, que terá lugar a 1 de dezembro, é: "As comunidades marcam a diferença". Este lema parece-me muito oportuno pelo reconhecimento do papel que as comunidades desempenham na resposta à infeção pelo VIH, fazendo-nos cair na conta de que este problema e a sua solução não passa só pelos serviços médicos especializados.
O desafio do controlo da infeção está lançado a todos. Vamos trabalhar juntos e tornar realidade o sonho de pôr "stop" à infeção! Vamos, profissionais de saúde e comunidade, marcar a diferença!



Outros artigos de Helena Sarmento

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quarta, 11/12/2019
Câmara de Odemira lança
roteiro "Mira a Terra"
A Câmara de Odemira vai lançar junto da comunidade escolar do concelho o roteiro "Mira a Terra", que vai permitir uma oferta organizada de actividades lúdico-didácticas para aprendizagem das áreas científicas fora sala de aula.
07h00 - quarta, 11/12/2019
Santo André recordou
padre Manuel Malvar
O padre Manuel Malvar, já falecido, foi homenageado no passado domingo, 8, em Santo André, com a atribuição do seu nome ao Largo da Aldeia, numa cerimónia promovida pela Câmara de Santiago do Cacém.
07h00 - quarta, 11/12/2019
CM Sines requalifica
Rua Marquês de Pombal
A Câmara de Sines já tem a decorrer as obras da primeira fase de requalificação da Rua Marquês de Pombal, um dos principais eixos de circulação da cidade, num investimento avaliado em cerca de 1,2 milhões de euros.
07h00 - terça, 10/12/2019
Direitos humanos
debatidos em Alcácer
O Auditório Municipal de Alcácer do Sal recebe nesta terça-feira, 10, a partir das nove da manhã, a segunda edição do Encontro "Cidadania e Direitos Humanos", promovido no âmbito do Plano Intermunicipal para a Igualdade 2017-2020.
07h00 - terça, 10/12/2019
Workshops de artesanato
na vila de Odemira
A CACO-Associação de Artesãos do Concelho de Odemira dinamiza a partir desta terça-feira, 10, quatro workshops de artesanato no novo espaço do Centro em Rede de Inovação do Artesanato Regional (CACO), em Odemira.

Data: 29/11/2019
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial