12h03 - quinta, 03/09/2020

Uma questão de justiça


Carlos Pinto
Os eleitos da Assembleia Municipal de Odemira, por iniciativa da bancada do PS, vieram a público reiterar o seu "desagrado pela falta de compromisso" do Governo face à degradação da rede viária nacional que atravessa o concelho, num processo, argumentam, "que se arrasta há dois anos", com os inevitáveis constrangimentos (e prejuízos) para a população e economia local.
Tal como o "SW" lhe dá a conhecer na página 8 desta edição, e de acordo com a moção aprovada por todas as forças partidárias representadas na Assembleia Municipal de Odemira, da direita à esquerda, este desagrado "resulta, sobretudo, pelo facto de terem passado dois anos desde a data em que foi debatido e apresentado neste órgão um conjunto de problemas detectados em troços que careciam de intervenção urgente, o que foi minuciosamente reportado a diversas entidades".
Entre estes, os eleitos destacam a inexistência no concelho de qualquer ligação em troços de auto-estrada, itinerário principal e/ou itinerário complementar, além de serem vários os troços em mau estado nas estradas nacionais (EN) 120, 123, 263, 389, 390 e 393.
Ora o posicionamento da Assembleia Municipal de Odemira parece-nos ser perfeitamente adequado a uma situação que há muito ultrapassa os limites do razoável. Garantir a igualdade de direitos a todos os seus cidadãos é indiscutivelmente um dos deveres do Estado e isso, no caso concreto do concelho de Odemira, não sucede nas acessibilidades rodoviárias, assim como em muitas outras áreas.
Por tudo isto, é de elementar justiça que os representantes da população se manifestem contra esta situação verdadeiramente vergonhosa, exigindo que de uma vez por todas se comece a atalhar caminho e a resolver alguns destes problemas há muito identificados. E é imprescindível que, de uma vez por todas, a empresa Infra-estruturas de Portugal venha a terreiro explicar porque não soluciona estas situações. Ou será que só as acessibilidades a Lisboa e Porto é que interessam?



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 28/01/2021
Caravelas-portuguesas avistadas
em praias de Odemira e de Sines
A Capitania do Porto de Sines alertou a população esta terça-feira, 26, para a presença de caravelas-portuguesas "no espelho de água e nas praias dos concelhos de Sines e de Odemira, incluindo no rio Mira".
07h00 - quinta, 28/01/2021
Cinco ADR do
Litoral Alentejano com
horário mais alargado
Os ADR Comunidade (áreas dedicadas para doentes para atendimento a utentes com sintomatologia de Covid-19) dos cinco centros de saúde do Litoral Alentejano passaram a ter um horário "mais alargado", dada a "actual situação pandémica" na região.
07h00 - quinta, 28/01/2021
Covid-19: Surto
com 38 infectados
no lar de Alvalade
Um surto de Covid-19 com 38 infectados, 10 dos quais funcionários e 28 utentes, foi identificado pelas autoridades de saúde no lar da Casa do Povo de Alvalade, informa a Câmara de Santiago do Cacém.
07h00 - terça, 26/01/2021
Câmara de Sines
entrega refeições a
alunos do concelho
A Câmara de Sines alargou o fornecimento de refeições escolares no concelho a todos os níveis de ensino, sendo que estas serão entregues em casa dos alunos, por forma a evitar "deslocações e a concentração de pessoas nas horas de levantamento das refeições".
07h00 - terça, 26/01/2021
Autarca de Alcácer quer
bombeiros e funcionários
da Câmara vacinados
O presidente da Câmara de Alcácer do Sal defende que os bombeiros voluntários e os funcionários da autarquia sejam colocados nos grupos prioritários no processo de vacinação contra a Covid-19.

Data: 15/01/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial