15h59 - quinta, 15/07/2021

O exemplo de Mariana


Carlos Pinto
Mariana Martins é uma jovem natural de Boavista dos Pinheiros, com 21 anos, que desde os 15 que vive longe da casa dos pais. Ainda adolescente foi para o Algarve atrás do sonho de continuar a estudar música, o que a levou, anos depois, a ser a primeira aluna da licenciatura em Guitarra Portuguesa no Politécnico de Castelo Branco, até então frequentada apenas por rapazes. Mas Mariana foi ainda mais longe e tornou-se, há pouco mais de uma semana, na primeira mulher em todo o mundo licenciada em guitarra portuguesa.
"Saí de casa dos meus com 15 anos para ir estudar para Lagoa e seguir este sonho" e esta licenciatura "representa 10 anos de trabalho, em que nunca deixei o meu sonho ir abaixo", conta a jovem guitarrista ao "SW", numa reportagem que pode ler na página 13 desta edição.
Para trás ficaram muitos anos de esforço, de dedicação e de sacrifício. Ainda para mais depois desta jovem ter chegado a ouvir dizer, em certos momentos, que a guitarra portuguesa "não era para meninas".
É precisamente este tipo de comentários que faz com que o feito de Mariana Martins seja ainda mais exemplar. Não só pela ambição e pelo sucesso escolar que representa, mas também por ser um exemplo de superação dos preconceitos e dos estereótipos que persistem numa sociedade que, infelizmente, ainda continua a ser muito formatada a partir de uma "visão" excessivamente masculina.
Nos últimos anos deram-se passos gigantescos em matéria de igualdade de género e, seguramente, que muitos mais serão dados no futuro próximo. Mas o caminho a fazer ainda é exigente e merece o esforço de cada um nós. Não tanto por via de imposições legislativas, mas sobretudo pela mudança de consciências e de atitudes. Para que exemplos como o de Mariana sejam mais que muitos.

2. Era esperado que neste verão, já com grande parte da população vacinada contra a Covid-19, as nossas vidas tivessem outra "normalidade", mas parece estar a suceder precisamente o oposto. Nesse sentido, e comprovada a "quarta vaga" da pandemia em Portugal, o que fazer para que esta não destrua de vez a economia? Desde logo, rever alguns dos parâmetros com que as autoridades (políticas e de saúde) vão determinando os passos a dar rumo ao desconfinamento, o que passa, necessariamente, por alterar a atual matriz de risco.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 28/10/2021
Câmara e comunidade
apoiam Fluvial Odemirense
A Câmara de Odemira está a avaliar "a dimensão do apoio financeiro a atribuir" ao Clube Fluvial Odemirense (CFO), cujas instalações foram destruídas por um incêndio, que teve causa humana, na madrugada de 9 de outubro.
07h00 - quinta, 28/10/2021
Pelouros atribuídos
no novo executivo
da Câmara de Sines
Estão definidos os pelouros no executivo da Câmara de Sines para o mandato autárquico de 2021-2025, onde apenas os quatro eleitos do PS estarão em regime de permanência.
07h00 - quinta, 28/10/2021
Autarca de Alcácer
reeleito presidente
da CIMAL
O autarca de Alcácer do Sal, o comunista Vítor Proença, foi reeleito, na terça-feira, 26, para o cargo de presidente do conselho intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL).
07h00 - quarta, 27/10/2021
Concelho de Sines recebe exercício
de combate à poluição marinha
O concelho de Sines recebe nesta quarta e quinta-feira, dias 27 e 28, o exercício de com-bate à poluição em meio marinho "Atlantic Polex.
07h00 - quarta, 27/10/2021
Porto de Sines
cresceu 16,9% no
terceiro trimestre
O Porto de Sines registou um crescimento de 16,9% no terceiro trimestre de 2021 no conjunto de todos os segmentos de carga, o que representou um total de 35,9 milhões de toneladas movimentadas.

Data: 15/10/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial