07h00 - quarta, 13/06/2018

Bloco quer ter mais
militantes em Odemira

Bloco quer ter mais militantes em Odemira

"Fazer a diferença à Esquerda em Odemira" é o mote que guia a nova comissão coordenadora concelhia de Odemira do Bloco de Esquerda (BE), eleita a 3 de Junho, num momento que marca uma "viragem" na presença do partido no concelho.
"Estas eleições são um marco histórico no BE em Odemira. Vamos continuar o trabalho que tem vindo a ser feito no concelho, agora com uma estrutura organizada de forma diferente que vai continuar a intervir, cada vez mais, sobre os temas do nosso concelho", afiança ao "SW" Pedro Gonçalves, um dos membros da recém-eleita comissão coordenadora do Bloco em Odemira, que sucede ao Núcleo de Odemira do BE, criado em 2001.
A seu lado surgem Alexandre Coutinho, Ana Loureiro, Fernanda Marques Pinto, Vasco Gaspar, Fátima Teixeira e Ventura Ramalho.
Entre os objectivos definidos por esta equipa está a captação de novos militantes. "Nota-se que as pessoas estão connosco, que estão disponíveis para participar, mas falta-lhes dar aquele passo de se aproximarem. E essa é uma das nossas batalhas, nomeadamente junto da juventude, onde tem havido pouca participação. Esse será um dos nossos 'cavalos de batalha'", revela Pedro Gonçalves.
Já no plano da intervenção política, este dirigente adianta que o BE continuará empenhado na luta contra a prospecção de petróleo na costa alentejana por parte do consórcio ENI/ GALP.
Paralelamente, continua Pedro Gonçalves, os bloquistas vão também tentar colocar na ordem do dia mais duas matérias: "A questão do canil/ gatil intermunicipal em Santiago do Cacém, em que o BE está claramente contra a criação dessa infra-estrutura. E depois a questão da utilização do glifosato, pois há que fazer com que os municípios abandonem definitivamente este produto", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

Data: 22/06/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial