07h00 - quinta, 10/10/2019

São Luís sensibiliza
para poupança de água

São Luís sensibiliza para poupança de água

Proteger, reduzir e poupar: são estes os três "pilares" essenciais do projecto "AQUA", promovido pela Junta de Freguesia de São Luís e que visa sensibilizar a população para a necessidade de poupar água. A iniciativa tem a colaboração da Câmara de Odemira e do Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Milfontes, sendo apoiado pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, através do programa "Juntar +" (o que acontece pelo segundo ano consecutivo, depois do projecto "Escalabardo" em 2018).
Em declarações ao "SW", o presidente da Junta de São Luís explica que o "AQUA" não surge porque se verifiquem "consumos preocupantes" de água na freguesia, mas sim por se acreditar "que é possível reduzir os consumos e proteger as nascentes" e por se pretender ajudar as famílias "a poupar na factura da água".
Além do mais, "acreditamos que podemos contribuir localmente para a resolução de problemas que, embora sejam complexos e globais, devem ser enfrentados com soluções locais (e outras), criativas e de sensibilização das comunidades", afiança Fernando Parreira, garantindo que o "AQUA" não tem nenhuma "relação directa" com "os graves problemas" sentidos na qualidade do abastecimento de água ao longo dos últimos anos, "na medida em que a obra de ligação à barragem de Santa Clara permite a melhoria da situação".
De acordo com o autarca, o "AQUA" representa um investimento de 21.150 euros, comparticipado em 85% pelo Fudo Ambiental (os restantes 15% são da responsabilidade da Junta de Freguesia". O programa no início de Setembro, com a assinatura do protocolo com o Fundo Ambiental, e estende-se até final de Março de 2020, sendo que várias das acções previstas têm de ser realizadas até 31 de Dezembro.
Entre estas acções estão, segundo Fernando Parreira, a realização de sessões de sensibilização para a redução do consumo de água, "sobretudo em contexto escolar", a explicação do "caminho" que a água faz até chegar às torneiras, a criação de produtos de sensibilização e a atribuição de jarros/ recipientes para a reutilização da água. A recuperação de um ponto de acesso público gratuito à água da rede pública e a disseminação dos produtos de sensibilização pelas juntas de freguesia e câmaras municipais de Portugal são outras das actividades previstas.
Ao lado da Junta de Freguesia de São Luís no "AQUA" vão estar a Câmara de Odemira e o Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Milfontes, do qual faz parte a Escola Básica (EB) 1 de São Luís.
"Acreditamos que projectos desenvolvidos em colaboração têm melhor adaptação à realidade e melhores resultados, porque os parceiros trazem conhecimentos e capacidades que nos complementam", justifica Fernando Parreira.
O autarca explica que no âmbito deste consórcio, a autarquia "terá como funções o acompanhamento e o apoio ao desenho do projecto no terreno", assim como "a monitorização, avaliação e reporte dos consumos de água na freguesia em comparação com períodos homólogos gerais e em especifico das famílias de estudo de caso, bem como o desenvolvimento de acções de sensibilização na comunidade e na EB1 de São Luís".
Já ao Agrupamento de Escolas caberá "o acompanhamento e o apoio ao desenho do projecto no terreno", assim como a inclusão deste "num 'Programa Cidadania', a participação nas acções de sensibilização escolares e a participação nos produtos de sensibilização a criar".
A estas três entidades, continua o autarca de São Luís, juntam-se "a importante colaboração" da Associação de Beneficiários do Mira e da empresa Águas Públicas do Alentejo.
Com todas estas acções e parceiros, Fernando Parreira não tem dúvidas que o "AQUA" será "uma mais-valia" para a freguesia de São Luís. "É uma iniciativa que projecta o nome São Luís e o concelho de Odemira enquanto comunidades conscientes e promotoras de boas práticas na defesa da sustentabilidade ambiental", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - sexta, 29/05/2020
PSD questiona caravanismo
"selvagem" no Alentejo Litoral
O PSD pretende saber se o Governo vai rever o actual quadro legal para proteger regiões como a Costa Vicentina e o Sudoeste Alentejano da prática daquilo que apelida de "auto-caravanismo selvagem".
07h00 - terça, 26/05/2020
500 portáteis distribuídos
por alunos de Odemira
São 500 computadores portáteis e 280 routers que permitem o acesso à Internet: é este equipamento informático que a Câmara de Odemira vai distribuir pelos alunos do concelho, no sentido de assegurar que todos os jovens estudantes tenham à disposição as ferramentas necessárias para o ensino à distância.
09h00 - segunda, 25/05/2020
Freguesia
de São Luís sem
médico há meses
A Junta de Freguesia de São Luís, no concelho de Odemira, está indignada pela falta de profissionais de saúde na Extensão de Saúde local, sendo que de momento a freguesia não conta com médico, enfermeiros ou sequer serviços administrativos.
07h00 - segunda, 25/05/2020
Plataforma pelas Artes
nasce no concelho de Odemira
A vila de Odemira foi um dos "palcos", na passada quinta-feira, 21, da vigília pelas artes e cultura em Portugal, numa iniciativa da qual acabou por nascer a Plataforma Cultura e Artes Odemira, que junta diversos artistas residentes no concelho.
08h00 - sexta, 22/05/2020
Vereadora Deolinda Seno Luís: "Era incompreensível Odemira não ter CLDS"
Em entrevista ao "SW" a vereadora Deolinda Seno Luís, responsável pelo pelouro da Intervenção Social na Câmara de Odemira, explica a importância de o concelho ter, pela primeira vez, um Contrato Local de Desenvolvimento Social no seu território.

Data: 22/05/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial