07h00 - terça, 13/04/2021

Criminalidade aumentou no Litoral Alentejano em 2020

Criminalidade aumentou no Litoral Alentejano em 2020

A criminalidade aumentou em 2020 no Alentejo Litoral, com mais uma centena de crimes participados face ao ano anterior. Os dados são avançado pelo Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2020, aprovado no final de março pelo Conselho Superior de Segurança Interna e já entregue na Assembleia da República.
De acordo com o documento, consultado pelo "SW", em 2019 registou-se um total de 3.155 crimes participados às autoridades na região do Alentejo Litoral, mais uma centena que em 2019.
Por concelhos, Odemira voltou a ser o município com mais participações registadas ao longo do ano passado, num total de 705. Ainda assim, este número representa uma diminuição de 68 participações face ao ano anterior.
Tal como em Odemira, o número de participações à GNR (ou PSP) em 2020 também diminuiu nos concelhos de Sines e de Alcácer do Sal. No caso de Sines foram registadas, segundo o RASI, 569 participações (menos 61 que em 2019), enquanto em Alcácer do Sal houve a participação de 442 crimes (menos 10 que no anterior).
Por oposição, a criminalidade participada às autoridades em 2020 aumentou no concelhos de Grândola e de Santiago do Cacém. Em Grândola foram registadas mais 212 participações que no ano anterior (de 582 para 794), ao passo que em Santiago do Cacém houve mais 27 participações (de 618 para 645).
Em termos distritais, o RASI 2020 revela que a criminalidade geral e violenta a grave diminuíram no distrito de Beja (que abrange o concelho de Odemira) no último ano. A criminalidade geral registou uma quebra de 8,5% (3.760 crimes participados), ao passo que a criminalidade violenta e grave caiu 18,3% (89 crimes participados).
Quanto ao distrito de Setúbal, que engloba os concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines, a criminalidade geral diminuiu 7,6% em 2020 (com 28.253 participações), enquanto a criminalidade violenta e grave na região registou um aumento de 2,7% (1.593 crimes participados).
O RASI 2020 revela igualmente que o Porto de Sines recebeu no último ano um total de 1.969 navios mercantes, dos quais 1.851 de cargas classificadas como perigosas.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 13/05/2021
Odemira. Prejuízos das cercas
sanitárias vão ser compensados
Os cidadãos que ficaram impedidos de trabalhar devido à imposição da cerca sanitária às freguesias de Longueira/Almograve e de São Teotónio, no concelho de Odemira, vão receber um subsídio por isolamento profilático, através da Segurança Social.
07h00 - quinta, 13/05/2021
Renascente de
São Teotónio é clube
com estabilidade
O regresso do Renascente de São Teotónio à 1ª divisão distrital de Beja, confirmada na época de 2021-2022, ocorre num momento em que o clube do concelho de Odemira apresenta grande estabilidade, garante o seu presidente.
19h20 - terça, 11/05/2021
Terminou a cerca sanitária em
São Teotónio e Longueira/Almograve
O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta terça-feira, 11, em Odemira, o levantamento da cerca sanitária às freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve, com efeitos a partir das 00h00 desta quarta-feira.
15h41 - terça, 11/05/2021
António Costa de visita
ao concelho de Odemira
O primeiro-ministro, António Costa, vai estar esta terça-feira, 11, a partir das 17h30, no concelho de Odemira, onde o Governo decretou, desde 30 de abril, uma cerca sanitária às freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve devido à incidência de Covid-19.
07h00 - terça, 11/05/2021
Autarca de Odemira exige
"fim imediato" da cerca sanitária
O presidente da Câmara de Odemira vai exigir ao Governo o "fim imediato" da cerca sanitária decretada para as freguesias de São Teotónio e de Longueira/Almograve, por considerar que "a situação está controlada" no concelho.

Data: 07/05/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial