07h00 - sexta, 07/05/2021

Paixão pelos livros em
Vila Nova de Milfontes

Paixão pelos livros em Vila Nova de Milfontes

É a paixão pelos livros e pela leitura que os move, uma paixão que os faz viajar por tempos e mundos distantes sem nunca saírem do mesmo lugar, uma paixão sem amarras e de horizontes vastos, capaz de tocar os corações mais empedernidos e de fazer sonhar os mais céticos. Uma paixão que fez com que, há oito anos, nascesse o Clube de Leitura de Vila Nova de Milfontes.
"O nosso objetivo e compromisso é exclusivamente com os livros. Ler, divulgar autores e partilhar opiniões", confidencia ao "SW" Maria Amália Costa, que a 21 de abril de 2013 fundou o clube.
Tudo começou muito antes. "Os livros e o gosto pela leitura sempre foram uma constante, uma presença assídua, ao longo de toda a minha vida", afiança Maria Amália, que ainda a viver em Lisboa passava "longas tardes e serões" à conversa com uma das suas melhores amigas sobre livros.
"Nunca nos faltava assunto e tudo girava à volta dos livros que íamos lendo, dos seus autores, das situações de que falavam, das emoções que provocavam", recorda.
Anos mais tarde, a mesma amiga fez chegar a Maria Amália o livro A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata, de Mary Ann Shaffer e Annie Barrows, e daí à criação do clube foi um passo natural.
"Não foi preciso mais nada! Na quietude e tranquilidade de Vila Nova de Milfontes convidei algumas amigas e pessoas conhecidas que sabia gostarem de ler e no dia 21 de abril de 2013 tivemos a nossa primeira reunião. Já lá vão oito aninhos", conta.
O Clube de Leitura de Vila Nova de Milfontes surgiu sem grandes pretensões, juntando à volta da mesa (muitas vezes pela noite fora) um grupo de pessoas amigas, todas elas ligadas pelos livros e pela paixão de ler. Nas reuniões cada um leva o seu livro, dando a conhecer as sensações que lhe foram transmitidas pela obra em questão.
"Certos livros ou determinados pormenores a uns despertam emoções e são inesquecíveis, enquanto a outros passam completamente despercebidos. Essa diversidade de interpretações é extremamente interessante e connosco funciona perfeitamente", observa Maria Amália Costa, acrescentando: "Conseguimos alcançar aquele grau de tolerância e liberdade imprescindíveis para que um grupo deste género consiga funcionar".
De momento, o grupo é constituído por 10 pessoas. "No entanto, e apesar de grupo fechado, estamos sempre disponíveis para receber visitas", afiança a fundadora do clube.
"Quem gostar de ler e nos quiser conhecer pessoalmente pode fazê-lo, só é obrigatório que traga consigo um livro que já tenha lido e venha disposto a falar sobre ele", explica.
Ao longo destes oito anos, a atividade do Clube de Leitura de Vila Nova de Milfontes tem assentado, sobretudo, na realização de encontros regulares, que são "tudo menos monótonas".
A par destas, continua Maria Amália Costa, têm sido promovidas sessões temáticas e também encontros de carácter público, "com convidados e uma componente de espetáculo", que os próprios elementos do grupo tomam a cargo "colocando um chapéu na cabeça e dizendo poesia".
"Nesse ciclo de eventos públicos pretendemos dar alguma visibilidade a pessoas da nossa região que possuem enorme talento e que, quase sempre em silêncio e na privacidade das suas casas, desenvolvem trabalhos magníficos", adianta Maria Amália Costa.
Os últimos meses têm sido mais complicados para o Clube de Leitura de Vila Nova de Milfontes, pois a pandemia da Covid-19 acabou por condicionar fortemente a sua atividade.
"Nunca mais voltou a ser o que era", confidencia a fundadora, para logo esclarecer que, "durante todo este ano",o contacto entre os elementos e a divulgação de leituras se foi fazendo através da página da grupo no Facebook. "Só que este confinamento tem estado a ser muito longo e doloroso", sublinha.
Tudo isto leva a fundadora do Clube de Leitura de Vila Nova de Milfontes a esperar ansiosamente pelo regresso "à normalidade, tal qual a conhecíamos", para que voltem também as reuniões e os encontros em redor dos livros.
"Penso que para nós, assim como para todas as outras pessoas, a maior das ambições será voltar a saborear as coisas simples da vida. E para nós, Clube de Leitura, falar dos nossos preciosos livros é, sem dúvida, uma das mais importantes coisas boas da vida", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - sexta, 18/06/2021
Odemira promove
cidadania ambiental
Alertar as comunidades "para o problema dos resíduos", para que os cidadãos "se tornem agentes de mudança", é o grande objetivo do projeto "A Rua é Tua! Tu decides!", promovido pela Câmara de Odemira em parceria com as juntas de freguesia e a associação Zero.
07h00 - sexta, 18/06/2021
Odemira e Aljezur contestam corte de água de Santa Clara a pequenos consumidores
As câmaras de Odemira e de Aljezur vieram a público contestar o corte do fornecimento de água a partir da barragem de Santa Clara aos pequenos consumidores, considerando que esta decisão coloca negócios, pequenas hortas e a criação de animais "em risco".
07h00 - quinta, 17/06/2021
Visitas às obras dos lares
de S. Teotónio e S. Martinho
Uma comitiva liderada pela presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, visitou, na passada semana, as obras de ampliação e remodelação dos lares de idosos de São Teotónio e de São Martinho das Amoreiras.
07h00 - quinta, 17/06/2021
Atleta de São Luís
campeão do Alentejo
Decorreram no passado dia 10 de junho, no Complexo Desportivo Fernando Mamede, em Beja, os Campeonatos de Atletismo do Alentejo em Pista, com a participação da equipa da Casa do Povo de São Luís (CPSL) e de um atleta do Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira (NDCO).
07h00 - quarta, 16/06/2021
Odemira com "expetativas altas"
para época balnear de 2021
A Câmara de Odemira confia que sejam muitos os turistas a visitar as praias do concelho durante o verão de 2021, à imagem do que sucedeu no ano anterior.

Data: 18/06/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial