15h26 - quinta, 01/07/2021

As cidades
do futuro


Carlos Pinto
Daniel Pinho é arquiteto, tem 38 anos e venceu a primeira edição do PRUMO – Prémio de Reabilitação Urbana do Município de Odemira, graças a um belo projeto de recuperação de um imóvel para habitação e serviços no centro da vila. E em entrevista a esta edição do "SW", que pode ler na página 13, deixa esta simples (mas muito pertinente) observação: "A reabilitação urbana é essencial para não deixarmos que as pessoas abandonem estes pequenos centros urbanos para se criar 'periferias' sem necessidade ou que estes centros se transformem em 'vilas museu' sem vida. Para isso é essencial uma estratégia territorial ampla que permita que estes centros sejam mais confortáveis, deixando de desenhar as cidades em função do automóvel mas sim em função das pessoas".
Quem é curioso por estas matérias do ordenamento urbanístico e da geografia há muito que já ouviu falar do "efeito donut" que se verifica em grande parte das cidades (e também das vilas) espalhadas pelo país – e pelo mundo.
Na prática, esse "efeito" não é mais que a criação de novos bairros e loteamentos nas áreas circundantes às localidades, "desumanizando" por completo os centros das mesmos. Porque se as pessoas se vão para esses novos "dormitórios", os centros urbanos ficam no mesmo local, sem "vida" depois dos horários de trabalho, remetidos ao silêncio e com imóveis fechados e a degradar-se.
Há décadas que é isto que acontece, com efeitos nefastos cada vez mais visíveis. Daí que, mais recentemente, se tenha começado a olhar para a reabilitação urbana como uma prioridade. E bem! Porque investir nesta área é investir na "revitalização" dos centros urbanos e, simultaneamente, na economia.
Aliás, uma das raras coisas boas que a pandemia parece ter trazido é a perceção de que as "cidades do futuro" terão de ser as "cidades 15 minutos", ou seja, localidades em que a nossa habitação não diste mais que 15 minutos – a pé – do posto de trabalho, dos supermercados, dos serviços e comércio, dos restaurantes ou dos espaços culturais e de lazer.
O desafio é, sabemos, enorme, mas este é um caminho que tem de ser cumprido, inclusive aproveitando as verbas da "bazuca europeia" que estão a chegar a Portugal. Em nome das nossas terras, mas sobretudo de uma sociedade mais "humanizada" e menos isolada em condomínios e apartamentos.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - segunda, 29/11/2021
Campanha de Natal
no comércio local
de Alcácer do Sal
Incentivar munícipes e visitantes a adquirirem os seus presentes no comércio local é o grande objetivo da campanha "Natal com tradição, Comércio com animação", que a Câmara de Alcácer do Sal promove até ao próximo dia 6 de janeiro.
07h00 - segunda, 29/11/2021
Obras de requalificação
em Vila Nova de Milfontes
A Câmara de Odemira inicia, já no próximo mês de dezembro, as obras de requalificação da Avenida Custódio Braz Pacheco, que irão decorrer no âmbito do projeto de requalificação e valorização da localidade e representam um investimento de quase 838 mil euros.
07h00 - segunda, 29/11/2021
Artes promovidas
nas escolas do
concelho de Odemira
O projeto "Miragem!" está de regresso às escolas do concelho de Odemira para aproximar os mais novos do "mundo" das artes performativas, levando aos espaços escolares intervenções de teatro, novo circo, dança, literatura, reflexão e música.
07h00 - sábado, 27/11/2021
Grupo "LuzAzul"
ao vivo em Odemira
O icónico forte de São Clemente, em Vila Nova de Milfontes, é uma das "fontes de inspiração" de "ÂMBRIA", trabalho de estreia dos "LuzAzul", atuam neste sábado, 27, pelas 21h30, no cineteatro Camacho Costa, em Odemira.
07h00 - sábado, 27/11/2021
Caminhada em
Santa Clara-a-Velha
A freguesia de Santa Clara-a-Velha, no interior de Odemira, recebe neste sábado, 27, a caminhada "De Santa Clara à Barragem", entre a aldeia de Santa Clara-a-Velha, o rio Mira e a barragem.

Data: 26/11/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial