17h34 - quinta, 27/07/2023

Que futuro para os nossos jovens?


Carlos Pinto
Um trabalho da Rádio Renascença, divulgado na passada semana, revela que os jovens portugueses são cada vez menos, ganham na sua maioria menos que 1.000 euros e saem cada vez mais tarde de casa. Ainda pior e mais angustiante: segundo a mesma investigação, as novas gerações vão viver pior do que as anteriores.
Entrevistada na peça, a investigadora Helena Lopes, do ISCTE, disse mesmo ser quase uma inevitabilidade os jovens terem viver com menos no futuro, seja por razões meramente económicas, seja também derivado do facto do planeta já não aguentar o nível de consumo que agora existe, o que implicará outro tipo de mobilidade (mais reduzida e menos global) e a posse de menos objetos.
Por tudo isto, acrescentava a investigadora à Renascença, os sistemas educativos vão ter de se readaptar e "tentar que os jovens não aspirem a ser ricos".
"Eles vão ter de contentar-se e serem felizes com uma vida com menos, com menos coisas materiais", concluiu Helena Lopes.
Esta antecipação do futuro, sobretudo para quem tem filhos, é de todo assustadora e ilustra a sucessão de erros que temos, geração após geração, vindo a cometer em nome de uma "vida melhor", que todos almejamos. Apesar da boa vontade de todas as ações praticadas, vemos agora que muitas vezes agimos sem critério, "cegados" pela ambição e sem olhar às eventuais consequências de médio e longo prazo.
As alterações e a crise climática, os guetos sociais que se vão criando em redor das grandes metrópoles e que, depois, originam os discursos de ódio que se propagam à velocidade da luz nas redes sociais são alguns dos efeitos mais evidentes (e nefastos) dessa demanda coletiva em busca da vida perfeita. Será que ainda iremos a tempo de inverter este caminho?

2. A FACECO regressou na sua "plenitude" no passado fim-de-semana, já sem qualquer "amarra" derivada da pandemia. Foram três dias de festa para uns, e trabalho para outros, mas muitos prazenteiros para todos. A FACECO é realmente uma feira diferente das restantes. Parabéns a todos!



COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quarta, 19/06/2024
Dia do Porto de
Sines com atividades
para a comunidade
O Porto de Sines vai estar de portas abertas nesta quarta-feira, 19, com um programa que inclui passeios marítimos, visita ao Laboratório de Ciências do Mar, batismos de stand up paddle, mergulho e street basket.
07h00 - quarta, 19/06/2024
Operação de
esterilização de gatos
errantes em Grândola
A equipa do Gabinete de Veterinária da Câmara de Grândola capturou, esterilizou e libertou 159 gatos errantes no concelho, na semana passada, tendo ainda recolhido 32 gatinhos que estão disponíveis para adoção.
07h00 - quarta, 19/06/2024
IPBeja com candidaturas abertas
para três CTeSP em Odemira
O Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) tem aberta, até 19 de julho, a primeira fase de candidaturas para os três cursos técnicos superiores profissionais (CTeSP) que vai dinamizar em Odemira no próximo ano letivo de 2024-2025.
07h00 - terça, 18/06/2024
FlixBus retoma
ligações de passageiros
ao Litoral Alentejano
A empresa de transporte rodoviário de passageiros FlixBus já retomou as suas loigações regulares aos concelhos do Alentejo Litoral, devido ao arranque do período de férias e por perspetivar um verão "bastante forte" em termos de procura de viagens para este destino.
07h00 - terça, 18/06/2024
'Layoff' na Indorama
em Sines renovado
por mais seis meses
O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE-Sul) está preocupado com a situação dos trabalhadores da fábrica de Sines da Indorama Ventures, que renovou o layoff por mais seis meses.

Data: 14/06/2024
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial