15h59 - quinta, 15/07/2021

O exemplo de Mariana


Carlos Pinto
Mariana Martins é uma jovem natural de Boavista dos Pinheiros, com 21 anos, que desde os 15 que vive longe da casa dos pais. Ainda adolescente foi para o Algarve atrás do sonho de continuar a estudar música, o que a levou, anos depois, a ser a primeira aluna da licenciatura em Guitarra Portuguesa no Politécnico de Castelo Branco, até então frequentada apenas por rapazes. Mas Mariana foi ainda mais longe e tornou-se, há pouco mais de uma semana, na primeira mulher em todo o mundo licenciada em guitarra portuguesa.
"Saí de casa dos meus com 15 anos para ir estudar para Lagoa e seguir este sonho" e esta licenciatura "representa 10 anos de trabalho, em que nunca deixei o meu sonho ir abaixo", conta a jovem guitarrista ao "SW", numa reportagem que pode ler na página 13 desta edição.
Para trás ficaram muitos anos de esforço, de dedicação e de sacrifício. Ainda para mais depois desta jovem ter chegado a ouvir dizer, em certos momentos, que a guitarra portuguesa "não era para meninas".
É precisamente este tipo de comentários que faz com que o feito de Mariana Martins seja ainda mais exemplar. Não só pela ambição e pelo sucesso escolar que representa, mas também por ser um exemplo de superação dos preconceitos e dos estereótipos que persistem numa sociedade que, infelizmente, ainda continua a ser muito formatada a partir de uma "visão" excessivamente masculina.
Nos últimos anos deram-se passos gigantescos em matéria de igualdade de género e, seguramente, que muitos mais serão dados no futuro próximo. Mas o caminho a fazer ainda é exigente e merece o esforço de cada um nós. Não tanto por via de imposições legislativas, mas sobretudo pela mudança de consciências e de atitudes. Para que exemplos como o de Mariana sejam mais que muitos.

2. Era esperado que neste verão, já com grande parte da população vacinada contra a Covid-19, as nossas vidas tivessem outra "normalidade", mas parece estar a suceder precisamente o oposto. Nesse sentido, e comprovada a "quarta vaga" da pandemia em Portugal, o que fazer para que esta não destrua de vez a economia? Desde logo, rever alguns dos parâmetros com que as autoridades (políticas e de saúde) vão determinando os passos a dar rumo ao desconfinamento, o que passa, necessariamente, por alterar a atual matriz de risco.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - sexta, 30/07/2021
"Cultura Com Todos"
termina em Odemira
Dinamizar o território e apoiar os agentes culturais locais é o grande objetivo do programa "Cultura com Todos em Odemira", que a Câmara Municipal tem vindo a promover nas freguesias do concelho do Litoral Alentejano ao longo deste mês de julho.
07h00 - sexta, 30/07/2021
Milfontes em sobressalto com ruído e vandalismo
A população de Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira, está indignada com o excesso de ruído, desacatos e atos de vandalismo provocados por um grupo de jovens que, todos os anos, passa férias na localidade.
07h00 - sexta, 30/07/2021
Porto de Sines coopera com
portos da Guiné Bissau
A Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) celebrou na quarta-feira, 28 de julho, um protocolo de cooperação com a Administração dos Portos da Guiné Bissau (APGB).
07h00 - sexta, 30/07/2021
Nuno Góis candidato
da CDU à AM Odemira
Nuno Góis vai ser o candidato da CDU à Assembleia Municipal de Odemira nas próximas eleições Autárquicas, agendadas para 26 de setembro, anunciou a candidatura comunista na sua página oficial no Facebook.
07h00 - quinta, 29/07/2021
Canadianos querem
abrir mina em Grândola
A empresa de consultoria Quadrante tem em curso o estudo de pré-viabilidade económica do projeto que prevê a criação da mina subterrânea da Lagoa Salgada, no concelho de Grândola, num investimento que pode ascender a 137 milhões de euros por parte dos canadianos da Ascendant Resources.

Data: 30/07/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial