15h20 - quinta, 28/02/2019

A Saúde que todos desejamos


Carlos Pinto
O protocolo de cooperação firmado em 2015 entre a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) e o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) permitiu que as listas de espera em várias especialidades médicas fossem reduzidas na região e, mais importante, melhorou substancialmente as condições de acesso dos utentes às consultas de que necessitam. Como lhe contamos nesta edição do "SW" [ver página 8], este acordo possibilitou, a título de exemplo, que em especialidades como a Otorrinolaringologia tenha mesmo deixado de existir lista de espera para consultas e ter sido reaberto o bloco operatório no Hospital do Litoral Alentejano, além de já existirem consultas de Reumatologia na região.
Esta é, indiscutivelmente, uma boa notícia para o Alentejo Litoral. Mas não deve deixar as populações ou sequer os principais responsáveis pelo sector totalmente descansados, bem pelo contrário. É que apesar de notória evolução em matéria de listas de espera, a Saúde continua com gravíssimos problemas na região, seja na falta de recursos humanos (tanto em médicos como em enfermeiros), seja nas carências evidentes no plano das infra-estruturas (e são tantas as obras por fazer…).
Nesse sentido, boas notícias como o resultado da cooperação entre a ULSLA e o CHULN devem, sobretudo, servir de motivação para melhorar uma área fulcral e determinante para desenvolvimento sócio-económico da região. Só assim poderemos almejar alcançar as condições de vida que todos desejamos e deixar de ler notícias sobre bebés que nascem na ambulância, em plena estrada, porque as grávidas de Sines (ou de Odemira ou de Santiago do Cacém ou de Grândola ou de Alcácer do Sal) têm de ir ter os seus bebés a hospitais a quase uma centena de quilómetros de distância de casa…

2. Na primeira edição do "SW", no já longínquo dia de 7 de Fevereiro de 2014, demos conta da ambição da Casa do Povo de Relíquias de abrir um lar de idosos na freguesia. Cinco anos e nove dias depois esta instituição social concretizou este objectivo e recebeu os primeiros utentes, reforçando claramente a resposta social nesta freguesia do concelho de Odemira. Parabéns a quem soube executar o "sonho" e votos para que a Segurança Social seja célere na celebração dos acordos de cooperação com a Casa do Povo de Relíquias.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - sexta, 29/05/2020
PSD questiona caravanismo
"selvagem" no Alentejo Litoral
O PSD pretende saber se o Governo vai rever o actual quadro legal para proteger regiões como a Costa Vicentina e o Sudoeste Alentejano da prática daquilo que apelida de "auto-caravanismo selvagem".
07h00 - sexta, 29/05/2020
CM Alcácer pede
subsídio de insalubridade
e risco para trabalhadores
A Câmara de Alcácer do Sal aprovou esta semana, em reunião do executivo, um pedido ao Governo para a atribuição de um subsídio de insalubridade e risco aos seus trabalhadores, dada a actual pandemia de Covid-19.
07h00 - sexta, 29/05/2020
Obras de renovação do
Pavilhão dos Desportos
de Sines concluídas
A Câmara de Sines já concluiu as obras de renovação do Pavilhão dos Desportos local, investimento avaliado em pouco mais de 31 mil euros e que incluiu a substituição de tabelas do campo de hóquei em patins.
07h00 - quinta, 28/05/2020
CM Alcácer oferece
10 mil máscaras
A Câmara de Alcácer do Sal entregou nesta quarta-feira, 27, um total de 10 mil máscaras cirúrgicas de protecção individual contra a Covid-19 a 12 instituições de solidariedade social do concelho.
07h00 - quinta, 28/05/2020
CM Sines promove
arrendamento social
A Câmara de Sines vai reabrir as candidaturas ao Subsídio Municipal ao Arrendamento, destinado a agregados familiares que se encontrem em situação de carência habitacional efectiva ou iminente, e que manifestem "incapacidade económica para suportar o valor da renda habitacional".

Data: 22/05/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial