09h34 - quarta, 06/12/2023

Os riscos do populismo!


Carlos Pinto
Henrique Raposo escreveu-o esta semana, num artigo de opinião publicado na edição digital do "Expresso": "Neste momento, parece que todos os atores políticos, judiciais e mediáticos são fantoches unidos à mão do Chega; parece que estamos a viver dentro de um filme escrito pelo Ventura. Depois do extremo populismo do ministério público e da imoralidade evidente de diversos homens de confiança de Costa que levaram à queda do governo, agora surge mais um caso que alimenta a grande mentira populista: eles, os poderosos do sistema, são todos uns bandidos, estão lá apenas para enriquecer e ajudar os seus com cunhas e contatos".
Na origem do texto estão, evidentemente, a Operação Influencer, que levou à demissão do primeiro-ministro, António Costa, e à exoneração do seu governo, e o caso das duas gémeas luso-brasileiras, tratadas em Lisboa, através do SNS, com o medicamento mais caro do mundo, depois do filho de Marcelo Rebelo de Sousa ter dado conhecimento do caso ao pai, o Presidente da República.
Ambos os casos não estão de todo ligados e podem, inclusive, a revelar que ninguém cometeu qualquer tipo de ilegalidade ou, sequer, algum ato de menor legitimidade moral e/ou ética. Ainda assim, ambos os casos vão sendo "cozinhados em lume brando" por alguma comunicação social, que ao mesmo tempo que pré-estabelece sentenças sobre os visados vai "alimentando" o crescimento do populismo em Portugal.
Ao contrário do que muitos escreveram e disseram, o facto de termos vivido sob ditadura até há quase meio século não criou nos portugueses uma "armadura" capaz de nos manter afastados dos movimentos populistas que se têm vindo a alastrar pelo mundo fora. Já vimos o que aconteceu em democracias sólidas, como a dos EUA, ou em países saídos do bloco soviético, como a Hungria. Uma tendência confirmada nos últimos meses em Itália, na Holanda, na Argentina e cada vez mais provável em França.
Portugal tem "resistido" a estes cantos de sereia, mas o populismo tem sabido reinventar-se e continua a granjear apoiantes, da direita à esquerda!, criando o risco de virmos a celebrar os 50 anos do 25 de Abril tendo no Parlamento um partido racista, misógino e xenófobo com mais de duas dezenas de deputados eleitos.
A última palavra caberá, naturalmente, aos eleitores. Mas que todos percebam que quem vende soluções fáceis para todos os problemas, dizendo apenas aquilo que se quer ouvir, dificilmente terá um projeto estruturado e estratégico para o país. E será, seguramente, uma ameaça àquilo que temos de mais precioso: a liberdade!



COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - segunda, 19/02/2024
Dérbi termina
empatado e
Milfontes perde
Odemirense e Renascente de São Teotónio empataram a uma bola na tarde deste domingo, 18, num dérbi concelhio a contar para a 13ª jornada do campeonato distrital da 1ª divisão de Beja.
07h00 - sexta, 16/02/2024
Câmara de Odemira distinguida
por apoio prestado a cuidadores
A Câmara de Odemira foi distinguida, pelo terceiro ano, pela Rede de Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais (RACCI), por adotar as melhores práticas e medidas de apoio em benefício dos cuidadores informais.
07h00 - sexta, 16/02/2024
Conferência em
Grândola vai debater
ordenamento
A Assembleia Municipal de Grândola vai promover neste sábado, 17, a conferência "Território: A revolução do ordenamento", no âmbito do programa comemorativo dos 50 anos do 25 de Abril.
07h00 - sexta, 16/02/2024
Teatro em São Teotónio
e Odemira reflete
sobre os sem-abrigo
Quem são os sem-abrigo? O que sentem? Como chegaram a essa condição? Estas são algumas das questões que a peça "Um Milhão + 1" pretende levantar entre todos aqueles que forem assistir a este espetáculo de teatro poético e visual, que vai estrear no próximo fim-de-semana, dias 17 e 18, no concelho de Odemira.
07h00 - quinta, 15/02/2024
Câmara de Santiago
vai apoiar obras
em habitações
A Câmara de Santiago do Cacém tem abertas, até final de fevereiro, as candidaturas no âmbito do Regulamento de Apoio para a Realização de Obras, para pessoas em situação de comprovada carência económica e residentes no concelho.

Data: 09/02/2024
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial